A beleza e sensualidade que emana do sadismo e crueldade: o conto a tatuagem de Tanizaki Jun’ichirô

  • Waldemiro Francisco Sorte Junior
Palavras-chave: Tanizaki Jun’ichirô, Período Edo, Beleza, Sensualidade, Sadismo

Resumo

O presente artigo examina a construção da beleza e sensualidade a partir de uma estética marcada pelo sadismo, perversão e crueldade nas obras de Tanizaki Jun’ichirô, por intermédio da análise do conto A Tatuagem (Shisei), publicado em 1910. Os trechos apresentados da obra demonstram que elementos usualmente ligados a sentimentos negativos, como o sadismo e a crueldade, encontram-se no conto intrinsecamente conectados a valores estéticos clássicos, de tal sorte que o despertar da sensualidade e beleza suprema na heroína é um resultado direto de desejos secretos e latentes de sadismo, crueldade e perversão, instigados pelo tatuador protagonista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Waldemiro Francisco Sorte Junior

Doutor em Desenvolvimento Internacional pela Universidade de Nagoya, Licenciado em Letras – Japonês pela Universidade de Brasília, Bacharel em Direito pelo Centro Universitário de Brasília, Bacharel em Administração de Empresas pela Universidade de Brasília

Publicado
2017-08-09
Como Citar
Sorte Junior, W. F. (2017). A beleza e sensualidade que emana do sadismo e crueldade: o conto a tatuagem de Tanizaki Jun’ichirô. Estudos Japoneses, (38), 109-126. https://doi.org/10.11606/issn.2447-7125.v0i38p109-126
Seção
Artigos