HISTORIADORES COMO METATEATRO NA DRAMATURGIA DE RODOLFO USIGLI

  • Robson Batista dos Santos Hasmann USP

Resumen

A aproximação entre a história e a ficção proporciona um campo bastante fértil nos estudos sobre a América Latina. O crítico Roberto González Echevarría (2000), por exemplo, procurou demonstrar que a ficção romanesca é credora de uma série de discursos jurídicos e legais produzidos nos primeiras décadas da colonização. Da mesma forma, André Trouche (2006) buscou evidenciar que a reflexão e a reescrita da história é uma constante da produção ficcional. Mais recentemente, Leyla Perrone-Moisés (2007) destacou que boa parte dos “paradoxos do nacionalismo” da América Latina é entrevisto no trabalho dos ficcionistas com a historiografia do continente. Porém, a dramaturgia não faz parte desses estudos e raramente aparece em outros que se dedicam a trabalhar essa perspectiva teórica na literatura hispano-americana. Com efeito, nosso trabalho propõe inserir o texto teatral nesse espectro de abordagens. . Selecionamos duas peças mexicanas do dramaturgo Rodolfo Usigli, a saber El gesticulador (1938) e Corona de sombra (1943). Usigli é considerado o principal responsável pela revitalização da arte dramática em seu país, em particularporque construiu sua obra a partir do conceito de que ele chamou de “anti-historia”. Nas obras selecionadas, destaca-se a figura de historiadores como personagens centrais. Buscamos centrar nossa leitura em uma possível função “metateatral” dessas personagens.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Robson Batista dos Santos Hasmann, USP
Doutorando FFLCH-USP
Publicado
2017-08-25
Cómo citar
Batista dos Santos Hasmann, R. (2017). HISTORIADORES COMO METATEATRO NA DRAMATURGIA DE RODOLFO USIGLI. Revista Entrecaminos, 2(1), 19-35. Recuperado a partir de http://www.revistas.usp.br/entrecaminos/article/view/109404
Sección
Anales de las Jornadas