A postura dos professores de Educação Física em relação ao trabalho cooperativo e à centralidade do aluno na experiência de aprendizagem

  • María Fernández-Rivas
  • María Espada-Mateos
Palavras-chave: Aprendizagem cooperativa, Educação física, Centralidade, Postura, Experiência docente

Resumo

O trabalho cooperativo propicia uma melhora na aprendizagem, na interação e na comunicação entre os estudantes. Portanto, o objetivo desta pesquisa é analisar a postura dos professores de Educação Física em relação à aprendizagem cooperativa a fim de aprimorar as experiências de ensino cuja centralidade esteja no aluno. Nossa amostra inclui 455 professores de Educação Física (70,8% homens, 29,2% mulheres, cuja idade varia de 30 a 50). Foi realizada uma análise estatística inferencial, com o uso de testes distintos (ANOVA e Welch). Os resultados desta pesquisa mostram que a postura dos professores de escolas públicas é mais positiva do que a dos professores de escolas semiprivadas no que se refere ao aumento da responsabilidade (p=.002) e aos debates em grupo. Além disso, os professores de escolas públicas consideram que a aprendizagem cooperativa em seu ambiente de trabalho traz mais benefícios à comunicação em grupo (p=.000) e à coesão do trabalho grupal (p=.001) do que no ambiente de trabalho das escolas semi-privadas e privadas. Constatou-se, também, que os professores com menos experiência docente têm uma postura mais positiva em relação à aprendizagem cooperativa do que seus colegas mais experientes, pois os primeiros consideram que este método contribui para o desenvolvimento de uma série de habilidades dos alunos, tais como a interação social, o desenvolvimento de hábitos de convivência, responsabilidade e corresponsabilidade, melhores relações interpessoais, debates em grupo etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-09-20
Como Citar
Fernández-Rivas, M., & Espada-Mateos, M. (2019). A postura dos professores de Educação Física em relação ao trabalho cooperativo e à centralidade do aluno na experiência de aprendizagem. Educação E Pesquisa, 45, e190409. https://doi.org/10.1590/s1678-4634201945190409
Seção
Artigos