Reconhecer os alunos para reinventar a escola: da afirmação de uma necessidade aos equívocos de um desejo

  • Rui Trindade Universidade do Porto
Palavras-chave: Aprendizagem, Mediações didácticas, Pedagogia da comunicação

Resumo

O Movimento da Escola Moderna Portuguesa - MEM - constitui- se, neste artigo, como um objecto de reflexão teórica cuja pertinência deriva da necessidade de se reflectir, por meio desse movimento, os propósitos, as reivindicações e os sentidos dos projectos de mediação curricular e didáctica de todos aqueles que reivindicam, de forma explícita, o seu distanciamento conceptual e praxeológico face ao campo das pedagogias da instrução. É tendo em vista esse propósito que se começa por identificar os eixos estruturantes do campo das pedagogias da aprendizagem a partir da leitura das obras de alguns dos pedagogos mais emblemáticos do Movimento da Educação Nova, confrontando-os, posteriormente, com o legado pedagógico do MEM, de forma a poderem interpelar-se, num primeiro momento, as zonas de luz e de sombra que atravessam, hoje, os discursos pedagógicos, curriculares e didácticos que reivindicam a sua pertença ao campo atrás referenciado e, num segundo momento, a reflectir-se sobre as respostas que no seio do MEM se foram construindo, de forma a cumprirem-se os desígnios de um projecto educacional que se caracteriza por valorizar os alunos como interlocutores e produtores de cultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2009-08-01
Como Citar
Trindade, R. (2009). Reconhecer os alunos para reinventar a escola: da afirmação de uma necessidade aos equívocos de um desejo . Educação E Pesquisa, 35(2), 265-285. https://doi.org/10.1590/S1517-97022009000200004
Seção
Artigos