Tempo e Tempos no Mundo Bizantino do Século XIII: Análise dos Epítomes Éticos sobre a Instabilidade da Vida, de Teodoro II Láscaris

  • Hermano do Amaral Pinto Neto Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Palavras-chave: História Social do Tempo, Teodoro II Láscaris, Epítomes Éticos sobre a Instabilidade da Vida, Império de Niceia, tempo bizantino

Resumo

O século XIII bizantino foi um período de grandes crises e transformações, tanto na esfera política quanto na esfera cultural. A tomada de Constantinopla pela Quarta Cruzada em 1204 e a subsequente fragmentação do império apresentou desafios materiais e cognitivos sem precedentes para o mundo grego bizantino, na medida em que sua unidade política se pulveriza e sua vida cultural, centrada em torno da capital, precisa se adaptar à nova realidade de fragilidade. Os Epítomes Éticos sobre a Instabilidade da Vida foram compostos nesse contexto por Teodoro II Láscaris, controverso imperador de Niceia de 1254 a 1258, que nos legou uma vasta produção intelectual na área de filosofia política. Os ensaios foram escritos no período de luto de Láscaris por sua falecida esposa, Elena da Bulgária. Neles, ele aborda diversas temáticas sobre a futilidade e efemeridade da existência humana, sempre sob o viés do tempo como agente corruptor e destruidor. Neste artigo, examinamos algumas das ricas noções de tempo presentes nos ensaios, desde a relação conturbada do autor com a morte até as severas implicações escatológicas da corrupção da glória imperial, apontada pelo autor, passando também por noções bizantinas de História, amor, profano, sagrado, espiritualidade e existência. Verificamos a significativa influência do pensamento parmenidiano e aristotélico na obra de Láscaris e, portanto, na intelligentsia nicena da época. Sua roda de letrados foi claramente influenciada pelo legado intelectual da Antiguidade clássica, presente sobretudo no mundo bizantino, mas também mantém uma moral e preocupações essencialmente cristãs.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hermano do Amaral Pinto Neto, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Bacharel em Relações Internacionais pela PUC-SP. Estudante de graduação de História pela USP.

Referências

ANGELOV, Dimiter. "The Moral Pieces by Theodore II Laskaris". Dumbarton Oaks Papers, pp. 237-269, nº 65-66, 2011-2012.

_______. Imperial Ideology and Political Thought in Byzantium, 1204-1330. New York: Cambridge University Press, 2007.

ANGOLD, Michael. "The Greek Rump States and the Recovery of Byzantium". In: SHEPARD, Jonathan. The Cambridge History of the Byzantine Empire c. 500-1492. Cambridge University Press, 2008.

ANGOLD, Michael; WHITBY, Michael. "Historiography". In: JEFFREYS, Elizabeth; HALDON, John; CORMACK, Robin (ed.). The Oxford Handbook of Byzantine Studies. Oxford University Press, 2008.

BRYER, Anthony. "Chronology and Dating". In: JEFFREYS, Elizabeth; HALDON, John; CORMACK, Robin (ed.). The Oxford Handbook of Byzantine Studies. Oxford University Press, 2008.

CAMERON, Averil. "Sacred and Profane Love: Thoughts on Byzantine Gender". In: JAMES, Liz (ed.). Women, Men and Eunuchs. Gender in Byzantium. Routledge, 1997.

COMNENA, Anna. The Alexiad. Tradução de Elizabeth A. S. Dawes. Cambridge, Ontario: In parentheses Publications, 2000.

DENNIS, George T.. "Death in Byzantium". Dumbarton Oaks Papers, pp. 1-7, Vol. 55, 2001.

ELIADE, Mircea. O Sagrado e o Profano. A essência das religiões. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

_______. História das Crenças e das Ideias Religiosas. Volume III: de Maomé à Idade das Reformas. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

HALDON, John. Byzanz. Geschichte und Kultur eines Jahrtausends. Tradução de Harald Ehrhardt. Düsseldorf: Patmos Verlag, 2007.

HOWARD-JOHNSTON, James. "Byzantium and its neighbours". In: JEFFREYS, Elizabeth;

HALDON, John; CORMACK, Robin (ed.). The Oxford Handbook of Byzantine Studies. Oxford University Press, 2008.

MACRIDES, Ruth. George Akropolites. The History. Introduction, Translation and Commentary. New York: Oxford University Press Inc., 2007.

MACRIDES, Ruth; MUNITIZ, J.A.; ANGELOV, Dimiter. Pseudo-Kodinos and the Constantinopolitan Court: Offices and Ceremonies. Farnham: Ashgate Publishing Limited, 2013.

MARINIS, Vasileios. Death and Afterlife in Byzantium: The Fate of the Soul in Theology, Liturgy, and Art. Cambridge, 2017.

REINERT, Stephen. "Fragmenation (1204-1453)". In: : MANGO, Cyril (ed.). The Oxford History of Byzantium. 2002.

RUNCIMAN, Steven. The Last Byzantine Renaissance. 1970.

SEVCENKO, Ihor. "Palaiologan Learning". In: MANGO, Cyril (ed.). The Oxford History of Byzantium. 2002.

SHEPARD, Jonathan. "Approaching Byzantium". In: _______. The Cambridge History of the Byzantine Empire c. 500-1492. Cambridge University Press, 2008.

WELLS, Colin. De Bizâncio para o mundo. A saga de um império milenar. Tradução de Pedro Jorgensen. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

WHITROW, G. J.. O Tempo na História. Concepções sobre o Tempo da Pré-História aos Nossos Dias. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1993.

Publicado
2018-11-29
Como Citar
Pinto Neto, H. (2018). Tempo e Tempos no Mundo Bizantino do Século XIII: Análise dos Epítomes Éticos sobre a Instabilidade da Vida, de Teodoro II Láscaris. Epígrafe, 6(6), 243-261. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v6i6p243-261
Seção
Artigos