Identidade Romana no Império Bizantino: Novas Perspectivas de um Problema de Alteridade

  • Guilherme Welte Bernardo Universidade Veiga de Almeida (UVA)
Palavras-chave: Império Bizantino, Identidade Romana, Historiografia

Resumo

A identidade romana dos bizantinos é frequentemente minimizada pelos historiadores, seja compreendendo-a por meio da cristã, seja enxergando-a como uma “fachada” de uma identidade perene helênica, desconectando essencialmente os bizantinos dos antigos romanos. O próprio uso do termo “bizantino” para se referir àquela civilização é moderno e surge da negação de sua reivindicação identitária, originando-se em antigos conflitos medievais. Essas perspectivas, contudo, estão sendo amplamente contestadas e uma reavaliação da romanidade bizantina parece estar em curso. O presente artigo visa contextualizar e apresentar os problemas que cercam essas discussões e os caminhos que as têm norteado, abordando temas como a “origem” do Império Bizantino e seus problemas de periodização, a negação de sua romanidade e a imputação de nomenclaturas artificiais, o “bizantinismo” enquanto problema de alteridade e os significados políticos dessa identidade, destacando a tese de Anthony Kaldellis de Bizâncio como o estado-nação medieval dos romanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Welte Bernardo, Universidade Veiga de Almeida (UVA)

Graduado em História pela Universidade Veiga de Almeida (UVA). E-mail para contato: g.welte@outlook.com

Publicado
2018-11-30
Como Citar
Bernardo, G. (2018). Identidade Romana no Império Bizantino: Novas Perspectivas de um Problema de Alteridade. Epígrafe, 6(6), 67-104. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v6i6p67-104
Seção
Artigos