RAZÃO DOS ANIMAIS EM HUME E NOS CÉTICOS MODERNOS

Autores

  • Flávio Miguel de Oliveira Zimmermann

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2013.82749

Palavras-chave:

ceticismo, razão dos animais, Hume, Descartes, Montaigne

Resumo

O pensamento de Hume pode ser comparado ao dos céticos modernos em muitos aspectos. Com relação ao tópico da racionalidade dos animais, Hume parece seguir de perto a leitura de alguns céticos modernos e se afastar consideravelmente da de Descartes. Por outro lado, diferente de filósofos como Montaigne, Charron e La Mothe Le Vayer, Hume não tinha por finalidade colocar a racionalidade humana num nível próximo dos animais para apenas provar a fraqueza do intelecto diante do desconhecido, mas intentava comparar o nosso modo de proceder ao do animal para avaliar, com mais precisão, as suas teorias acerca da natureza humana. Neste artigo analiso o modo como os primeiros céticos da modernidade trataram da questão da razão dos animais e o comparo com as ideias de Hume sobre o assunto, sem deixar de mencionar as contribuições de Descartes e de Pierre Bayle.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-11

Como Citar

Zimmermann, F. M. de O. (2013). RAZÃO DOS ANIMAIS EM HUME E NOS CÉTICOS MODERNOS. Cadernos Espinosanos, (29). https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2013.82749

Edição

Seção

Artigos