Objeto ou referente dos signos estéticos: reflexões e discussões a partir da lógica de C. S. Peirce

  • André Ming Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Semiótica, C.S. Peirce, Objeto(s) do signo, Signos estéticos

Resumo

Não parece existir consenso a respeito da temática dos objetos ou referentes dos signos estéticos, entre teóricos das semióticas e da teoria da literatura. Autores como Neuhaus (2014) consideram que o signo estético não possui o objeto ou referente, e que esta seja uma de suas características mais próprias. Outros autores, como Johansen (1987), consideram que esse tipo de signo possui objetos ou referentes com características especiais. Neste artigo, pretende-se analisar a posição desses autores tendo como ponto de apoio a semiótica ou lógica de Charles Sanders Peirce e seus desdobramentos a respeito do objeto, o segundo correlato de sua estrutura sígnica triádica. Para tal, e apoiado em Santaella (2000), retomarei as principais considerações peirceanas a respeito do segundo correlato do signo, destacando os dois tipos principais de objetos nessa teoria, a saber, o dinâmico e o imediato, e a relação entre objeto, percepção, realidade e ficção. Considerando a observação peirceana de que um signo pode possuir qualquer número de objetos, procuro argumentar que não apenas os signos estéticos possuem objetos, como também podem ser encarados como possuindo ao menos dois: um objeto ficcional e criado mas que, por aludir à realidade ou a aspectos dela, termina por referir-se, principalmente por iconicidade ou simbologia, também a aspectos do mundo fenomênico consensual, da realidade física ou social. Serão utilizados exemplos da literatura alemã, da literatura infantil brasileira e uma obra de Escher.

Biografia do Autor

André Ming, Universidade de São Paulo
Bacharel, licenciado, mestre e doutorando em Letras pela Universidade de São Paulo.
Publicado
2017-09-25
Como Citar
Ming, A. (2017). Objeto ou referente dos signos estéticos: reflexões e discussões a partir da lógica de C. S. Peirce. Estudos Semióticos, 13(1), 89-99. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2017.128008
Seção
Artigos