Inter-relações e ressignificações do discurso bíblico no filme The Crow (1994)

Palavras-chave: The Crow, Bíblia Sagrada, Paradise Lost, Semiótica

Resumo

Este artigo se propõe a investigar as relações de significação que o filme The Crow (1994) estabelece com mitos explorados pelo discurso bíblico. O texto fílmico enreda-se pela narrativa sobre os noivos Eric Draven e Shelly Webster, ambos brutalmente assassinados por uma gangue, à véspera de seu casamento. Um ano após o trágico incidente, Eric Draven é ressuscitado por um corvo, que irá guiá-lo e guardá-lo até que encontre todos os assassinos e, completada a sua vingança, finalmente possa descansar em paz. Dos mitos cotejados, evidenciamos relações entre The Crow, a história de Jesus Cristo e o poema épico Paraíso Perdido (1667), de John Milton, que reconta a queda de Lúcifer e a corrupção do homem pelo pecado. Utilizamos como arcabouço teórico a semiótica francesa, por meio de cujos pressupostos abordamos as inter-relações entre os textos selecionados e as consequentes interferências sobre a (des)construção de seus sentidos.

Biografia do Autor

Fernando Martins Fiori, Universidade Federal de São Carlos

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Paulo, Brasil.

Mônica Baltazar Diniz Signori, Universidade Federal de São Carlos

Docente do Departamento de Letras da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Paulo, Brasil.

Publicado
2019-08-19
Como Citar
Fiori, F., & Signori, M. (2019). Inter-relações e ressignificações do discurso bíblico no filme The Crow (1994). Estudos Semióticos, 15(1), 107-211. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2019.152311