Simboli nazionali, regimi di interazioni e populismo mediatico: prospettive sociosemiotiche

Palavras-chave: Simbolo, Processi politico-mediatici, Sociosemiotica, Umberto Eco, Eric Landowski

Resumo

A partir do diálogo entre a noção de modo simbólico elaborada por Umberto Eco e os estudos sobre os regimes de interação e sentido de Landowski, o presente trabalho analisa o papel dos símbolos nacionais nos discursos políticos e midiáticos que, desde as jornadas de junho de 2013 contra o aumento da tarifa do transporte público, acompanharam e alimentaram o percurso rumo ao impeachment de Dilma Rousseff e seus mais imediatos desdobramentos. Paralelamente, promove-se uma reflexão de cunho teórico, finalizada à exploração da carga estésico-passional que os símbolos podem mobilizar no curso das interações entre sujeitos sociais distintos, bem como da dialética entre regimes de sentido na qual eles se inscrevem ou da qual podem se tornar protagonistas.

Biografia do Autor

Paolo Demuru, Universidade Paulista

Docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, Brasil.

Publicado
2019-08-19
Como Citar
Demuru, P. (2019). Simboli nazionali, regimi di interazioni e populismo mediatico: prospettive sociosemiotiche. Estudos Semióticos, 15(1), 48-63. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2019.154823