Pequena semiótica da memória

  • Mariana Luz Pessoa de Barros Universidade Federal de São Carlos
Palavras-chave: Gramática tensiva, Campo de presença, Memória, Discurso autobiográfico

Resumo

A partir das contribuições da gramática tensiva, proposta por Jacques Fontanille e Claude Zilberberg, o artigo examina a produtividade das noções de campo de presença e acontecimento para o estudo dos discursos autobiográficos. Com essa finalidade, observa os possíveis entrelaçamentos entre memória e percepção em Pequenas memórias (2006), de José Saramago, e retoma as noções de memória do acontecido e memória-acontecimento, desenvolvidas em trabalhos anteriores, para explicar as gradações do impacto da obra sobre o enunciatário (leitor pressuposto). Enquanto a memória do acontecido privilegia a legibilidade do texto, produzindo sobre o enunciatário o efeito de distanciamento e conforto; a memória-acontecimento captura-o por meio do impacto.       

Biografia do Autor

Mariana Luz Pessoa de Barros, Universidade Federal de São Carlos

Docente do Departamento de Letras da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Publicado
2019-04-11
Como Citar
Barros, M. (2019). Pequena semiótica da memória. Estudos Semióticos, 15, 122-135. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2019.155057