O ensino de coerência textual em enunciados verbais e não-verbais: uma abordagem alternativa

Palavras-chave: Significação, Semântica dinâmica, Veridicção, Coerência textual, Gêneros do discurso

Resumo

A coerência é comumente abordada no paradigma da linguística textual (Fávero, 1991; Koch; Travaglia, 1997). Propomos uma abordagem alternativa desse fenômeno em sala de aula estabelecendo um diálogo entre semiótica discursiva (Greimas, Courtés, 2012; Greimas, 2014 [1983]) e semântica dinâmica (Stalnaker, 1999; Portner, Partee, 2002). Da primeira disciplina, emprestaremos os conceitos de isotopias e contrato de veridicção; da segunda, contradição e common ground. A aproximação desses dois ferramentais analíticos permitirá distinguir incoerências internas e incoerências externas. As primeiras emergem quando há contradição entre ideias dentro de um mesmo texto, enquanto as segundas decorrem de uma contradição entre uma proposição do texto e o repositório de saberes comuns partilhado pelos sujeitos da enunciação. O rendimento de aplicação desses conceitos será demonstrado primeiramente na análise de textos mais simples extraídos de redes sociais, passando em seguida para textos visuais para, por fim, desembocar em textos verbais mais complexos. As atividades didáticas se pautam pelos princípios da aprendizagem ativa baseada em cooperação (Pilati, 2017; Johnson et al., 1998; Johnson, Johnson, 2008). A abordagem proposta permite reconhecer incoerências propositalmente empregadas com fins retóricos, argumentativos e estéticos.

Biografia do Autor

Lucas Takeo Shimoda, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Linguística, Brasil

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Linguística, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, da Universidade de São Paulo (USP), SP, Brasil

Luiz Fernando Ferreira, Universidade de São Paulo

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Linguística, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, da Universidade de São Paulo (USP), SP, Brasil.

Referências

AZEVEDO, Isabel Cristina Michelan de. O papel da argumentação na construção de competências discursivas no ambiente escolar. In: MOSCA, Lineide do Lago Salvador (org.). Retórica e argumentação em práticas sociais discursivas. Coimbra: Grácio, 2016.
BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1992.
BARROS, Diana Luz Pessoa de. Teoria semiótica do texto. São Paulo: Ática, 2002.
BEIVIDAS, Waldir; LOPES, Ivã Carlos. Argumentação e persuasão: tensão entre crer e saber em “Famigerado”, de Guimarães Rosa. Alfa, vol. 53, n. 2. São Paulo, 2009. p. 443-455.
BERTRAND, Denis. Parler pour convaincre. Rhétorique et discours. Paris: Éditions Gallimard, 1999.
BERTRAND, Denis. Caminhos da semiótica literária. Bauru: EDUSC, 2003.
CARMO Jr., José Roberto do. Estratégias enunciativas na produção do texto publicitário verbovisual. In: OLIVEIRA, Ana Cláudia; TEIXEIRA, Lúcia. Linguagens na comunicação: desenvolvimentos de semiótica sincrética. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2009.
CHIERCHIA, Genaro. Semântica. Campinas: Editora UNICAMP, 2003.
CHIERCHIA, Genaro; MCCONNELL-GINET, Sally. Meaning and grammar: an introduction to semantics. London/Massachusetts: MIT Press, 2000.
CORREA, Thiago Moreira. Reflexões sobre uma didática para a Semiótica Visual: semissimbolismo. Comunicação oral. FAPS – Fórum de Atualização em Pesquisas Semióticas, Março/2019. Disponível em http://semiotica.fflch.usp.br/FAPS2019-03-Thiago-Moreira-CORREA . Acesso em 15/05/2019.
DAHLGREN, Kathleen. Discourse coherence. In: DAHLGREN, Kathleen. Naive Semantics for Natural language understanding. Boston: Kluwer Academic Publishers, 1988.
FÁVERO, Leonor. Coesão e coerência textuais. São Paulo: Ática, 1991.
FIORIN, José Luiz. As astúcias da enunciação. As categorias de pessoa, espaço e tempo. 2ª ed. São Paulo: Ática, 1999.
FIORIN, José Luiz. Elementos de análise do discurso. São Paulo: Contexto, 2011.
FIORIN, José Luiz. Figuras de retórica. São Paulo: Contexto, 2014.
FIORIN, José Luiz. Argumentação. São Paulo: Contexto, 2016.
FLOCH, Jean-Marie. Petites mythologies de l’oeil et de l’esprit: pour une sémiotique plastique. Paris: Hadès-Benjamins, 1985.
GREIMAS, Algirdas Julien; COURTÉS, Joseph. Dicionário de semiótica. 2ª ed. 1ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2012.
GREIMAS, Algirdas Julien. Sobre o sentido II: ensaios semióticos. 1ª ed. São Paulo: Nankin/EDUSP, 2014 [1983].
JOHNSON, Roger T.; JOHNSON, David W.; SMITH, Karl A. Active Learning: Cooperation in the College Classroom, 1998.
JOHNSON, Roger T.; JOHNSON, David W. Active Learning: Cooperation in the classroom. The Annual Report of Educational Psychology in Japan, vol. 47, 2008. p. 29-30.
KOCH, Ingedore Villaça. Argumentação e linguagem. 4. ed. São Paulo: Cortez, 1996.
KOCH, Ingedore Villaça; TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Coerência textual. 17. ed., 2ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2008 [1997].
LOPES, Edward. Metáfora: da retórica à semiótica. 2ª ed. São Paulo: Atual, 1987.
MARCUSCHI, Luiz Antônio. Linguística do texto: o que é, como se faz. Recife: UFPE, 1983. (Série Debates 1)
PIETROFORTE, Antônio Vicente Seraphim. Análise textual da história em quadrinhos: uma abordagem semiótica da obra de Luiz Gê. São Paulo: Annablume-Fapesp, 2009.
PILATI, Eloísa. Linguística, gramática e aprendizagem ativa. Campinas: Pontes, 2017.
PORTNER, Paul; PARTEE, Barbara. (eds.). Formal semantics: the essential readings. Blackwell Publishers, 2002.
REBOUÇAS, Moema Lúcia Martins. Leitura de textos visuais na escola. In: NUNES, Ana Luíza Ruschel (org.). Artes Visuais: Leitura de imagens e escola. 1ª ed. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2012. p. 247-260.
SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de Linguística Geral. 27. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.
SOBRAL, Adail Ubirajara. A relação entre enunciador e enunciatário num discurso de Plínio Salgado. In: LOPES, Ivã Carlos; HERNANDES, Nilton. Semiótica: objetos e práticas. São Paulo: Contexto, 2005.
SILVA, Sílvio Porfírio. Texto visual na educação infantil: contribuições para construção do conhecimento da criança. Revista Arredia, v. 3, n. 5. Dourados, MS: Editora UFGD, 2014. p. 77-101. Disponível em http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/arredia/article/view/3290 . Acesso em 15/05/2019.
SILVINO, Flávia Felipe. Letramento visual. ANAIS – Seminários Teóricos Interdisciplinares do SEMIOTEC. I STIS, 2012. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/stis/article/view/2116/2714>. Acesso em 15/05/2019.
STALNAKER, Robert. Context and content: Essays on Intentionality in Speech and Thought. Oxford University Press, 1999.
Publicado
2019-12-23
Como Citar
Shimoda, L., & Ferreira, L. (2019). O ensino de coerência textual em enunciados verbais e não-verbais: uma abordagem alternativa. Estudos Semióticos, 15(2), 158-180. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2019.160575