Contribuições da Semiótica às práticas de multiletramento

Palavras-chave: Multiletramentos, Letramento digital, Práxis enunciativa, Sincretismo, Práticas semióticas

Resumo

O artigo toma como parâmetro teórico a Semiótica discursiva, teoria geral da significação, que favorece a abordagem de qualquer texto ou prática social por meio de instrumentos metodológicos consistentes, para refletir sobre os multiletramentos. Considera-se que tal conceito se assenta sobre dois eixos principais: as relações entre linguagens na produção de textos sincréticos e as práticas sociais em que são postos em circulação. Para exemplificar as possibilidades de análise e as contribuições para o ensino delas decorrentes, o artigo aborda, à luz dos níveis de pertinência propostos por Fontanille e do conceito de sincretismo, o ensino de leitura na escola, percorrendo diversos gêneros como notícia, capa de livro, blog, narrativa de aventuras e abaixo-assinado digital. A análise pretende contribuir para enfrentar os desafios impostos pelos textos, objetos e práticas contemporâneas ao ensino de leitura. Busca-se ainda intensificar o diálogo entre a semiótica e as teorias sobre ensino e multiletramentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Maria de Sousa, Universidade Federal Fluminense

Docente do Departamento de Ciências da Linguagem , do Instituto de Letras da Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ, Brasil.

Lucia Teixeira, Universidade Federal Fluminense

Docente Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem, da Universidade Federal Fluminense  (UFF), Niterói, RJ, Brasil.

Referências

BARROS, Diana Luz Pessoa de. A complexidade discursiva na Internet. CASA: Cadernos de Semiótica Aplicada, v. 13, n. 2. Araraquara, SP, 2015. p. 13-31. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/casa/article/view/8028 .
BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.
DUDENEY, Gavin; HOCKLY, Nicky; PEGRUM, Mark. Letramentos digitais. São Paulo: Parábola Editorial, 2016.
FIORIN, José Luiz. Práxis enunciativa. In: PERNAMBUCO, J.; FIGUEIREDO, M. F.; SALVIATO-SILVA, A.C. (orgs.). Nas trilhas do texto. São Paulo: Universidade de Franca, 2010. [Col. Mestrado em Linguística, 5).
FONTANILLE, Jacques. A semiótica hoje: avanços e perspectivas. Estudos Semióticos. [on-line], vol. 12, n. 2. Editores responsáveis: Ivã Carlos Lopes e José Américo Bezerra Saraiva. São Paulo, 2016. p. 1-9. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/esse . Acesso em 01 de outubro de 2019 .
FONTANILLE, Jacques. Pratiques sémiotiques. Paris: PUF, 2008a.
FONTANILLE, Jacques. Práticas Semióticas. In: DINIZ, M. L. V. P.; PORTELA, J. C. (orgs.). Semiótica e Mídia. Bauru: UNESP/FAAC, 2008b.
FONTANILLE, Jacques. Semiótica do discurso. São Paulo: Contexto, 2007.
GOMES, Regina Souza. O enunciatário em poesias digitais. CASA: Cadernos de Semiótica Aplicada, vol. 13, n. 2. São Paulo: UNESP, 2015. p. 343-369.
GREIMAS, Algirdas Julien; COURTÉS, Joseph. Dicionário de semiótica. São Paulo: Contexto, 2008.
GREIMAS, Algirdas Julien.; FONTANILLE, Jacques. Semiótica das paixões. São Paulo: Ática, 1993.
LEMKE, Jay. Letramento metamidiático: transformando significados e mídias. Trabalhos em linguística aplicada, vol. 49, n. 2. Campinas, 2010. p. 455-479.
SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.
RABAÇA, Carlos Alberto; BARBOSA, Gustavo Guimarães. Dicionário essencial de comunicação. Rio de Janeiro: Lexikon, 2014.
ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo. Letramentos, mídias, linguagens. São Paulo: Parábola Editorial, 2019.
Publicado
2019-12-23
Como Citar
Sousa, S., & Teixeira, L. (2019). Contribuições da Semiótica às práticas de multiletramento. Estudos Semióticos, 15(2), 46-62. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2019.165201