Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Submissões

Submissões Online

Já possui um login/senha de acesso à revista Estilos da Clinica?
Acesso

Não tem login/senha?
Acesse a página de cadastro

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso.

 

Diretrizes para Autores

Normas para a apresentação dos trabalhos

1- Os artigos devem ser enviados para submissão online e serão inicialmente apreciados pela Comissão Executiva, caso estejam de acordo com as Normas para Publicação serão encaminhados para avaliação de pelo menos dois consultores ou colaboradores ad hoc.

 

 

 

O(s) autor(es) serão comunicados sobre o início do processo editorial por e-mail enviado pelo sistema de submissão online.

 

Toda a correspondência referente aos trâmites editoriais deverá ser feita pelo sistema online para ficar documentada. Os consultores ad hoc serão escolhidos entre pesquisadores reconhecidos na área da publicação e não serão informados das identidades dos autores e de suas afiliações institucionais. Os autores também não terão conhecimento das identidades dos consultores.

 

Após análise dos artigos, os consultores emitem os pareceres indicando: aceito, aceito com modificações sugeridas (formais ou de base) ou rejeitado para publicação. Caso haja discordância entre os pareceres quanto à publicação, o trabalho será encaminhado a um terceiro consultor ad hoc. Os pareceres serão enviados ao(s) autor(es) para que se justifique o resultado da avaliação ou para que sejam realizadas modificações no texto, devendo o(s) autor(es), neste caso, devolver o trabalho reformulado no prazo máximo de vinte dias. O trabalho será reenviado aos pareceristas, que deverão se pronunciar com relação à revisão efetuada.

 

A revista Estilos da Clínica conta com consultores qualificados que procuram emitir pareceres construtivos aos trabalhos dos autores.

 

2 – Os textos não devem exceder 18 laudas digitadas em espaço 1,5, corpo 12 pontos, limitando-se a um máximo de 35000 caracteres (incluindo as referências bibliográficas e os caracteres em branco).

3 – A apresentação dos manuscritos deve seguir a seguinte padronização e ordem:

3.1 – Folha de rosto, contendo:

(a) título em português, inglês e espanhol;

(b) nome completo de cada um dos autores, seguido por dados relativos a afiliação institucional e a área de atuação de cada autor;

(c) endereço completo do(s) autor(es) para correspondência (incluindo CEP, telefone e endereço eletrônico).

3.2 – Resumos

Os artigos devem incluir um resumo informativo (com no máximo 100 palavras) em português, o resumen em espanhol e o abstract em inglês (versões do resumo).

3.3 – Descritores

Os descritores em português (até o máximo de cinco), as palabras clave e os index terms (versão para o espanhol e inglês dos descritores) devem acompanhar os resumos dos artigos.

4 – Texto

A apresentação gráfica do texto deve obedecer às seguintes indicações:

(a) O texto inteiro deve ser digitado em uma única fonte, ou seja, não devem ser utilizadas fontes diferentes para títulos, seções, etc.

(b) Utilizar negrito para títulos ou seções.

(c) Só utilizar caixa alta (todas as letras em maiúscula) para títulos.

(d) Para ênfase ou destaque, utilizar itálico, e não negrito ou sublinhado.

(e) Assinalar o parágrafo com um único toque de tabulação.

(f) Não utilizar negrito ou itálico para as citações, apenas aspas duplas.

(g) Utilizar o número mínimo de notas. Quando indispensáveis, devem ser numeradas (algarismos arábicos) e organizadas em uma página separada, no final do texto, e não no rodapé das páginas.

5–As resenhas não devem ultrapassar 6 laudas, e as notas de leitura, 1 lauda. A apresentação deve obedecer às mesmas normas utilizadas para a padronização dos artigos. Máximo de 12000 caracteres.

6 - As citações no texto e referências bibliográficas devem ser normalizadas de acordo com as normas editadas pela American Psychological Association – APA1. Obs.: As Normas da APA estão disponíveis no site do IPUSP, no link da biblioteca.http://www.ip.usp.br/biblioteca/biblioteca_produtos.htmPara acessar clicar em Manuais de Normalização.

Normas para citações no texto

NORMAS PARA CITAÇÕES NO TEXTO

(a) Devem ser apresentadas pelo sobrenome do autor seguido do ano da publicação.

Ex.: Levin (1991) ou (Levin, 1991).

Lacan (2003) ou (Lacan, 2003)

(b) Nas citações com dois autores, os sobrenomes, quando citados entre parênteses, devem ser ligados por &; quando citados no texto, devem ser ligados por e (e, no caso de o texto ser em português; and, em inglês; y, em espanhol; e assim por diante).

Ex.: Laplanche e Pontalis (1988) ou (Laplanche & Pontalis, 1988).

(c) No caso de citações de três a cinco autores, a primeira vez em que aparecem no texto são citados todos os autores; nas citações seguintes cita-se o sobrenome do primeiro autor seguido da expressão latina ‘et al.’.

Exemplos:

Primeira vez em que os autores aparecem citados no texto: Labov, Cohen, Robins e Lewis (1968) ou (Labov, Cohen, Robins & Lewis, 1968).

Nas citações seguintes: Labov et al. (1968) ou (Labov et al., 1968).

Obs.: Na lista final de referências bibliográficas, mencionar todos os autores na ordem em que aparecem na publicação.

(d) No caso de citações com seis ou mais autores, cita-se o sobrenome do primeiro autor seguido da expressão latina ‘et al.’

Exemplo:

Hays et al. (2002) ou (Hays et al., 2002)

(e) As citações textuais (transcrição literal de um texto) devem ser delimitadas por aspas duplas, seguidas do sobrenome do autor, data e página citada

Obs.: Na citação de depoimentos ou entrevistas, as falas devem ser apresentadas em itálico e sua forma de apresentação deve seguir as orientações para citação textual.

Exemplo:

Indagados sobre a qualidade dos seus cursos de graduação, cerca de 70% dos entrevistados afirmam ser insuficiente. O entrevistado 2, por exemplo, afirma que “a graduação foi insuficiente, não tem condições de formar para a prática. É necessário uma formação generalista e um pensar crítico”.

(f) Na citação indireta, ou secundária, ou seja, aquela cuja idéia é extraída de outra fonte, utilizar a expressão “citado por” (no caso de o texto ser em inglês, “as cited in”, e assim por diante).

Ex.: Para Silva (1981) citado por Gomes (1998).

Obs.: Nas referências bibliográficas, mencionar apenas a obra consultada (no caso, Gomes, 1998).

(g) Em citações de vários autores e uma mesma idéia, deve-se obedecer à ordem alfabética de seus sobrenomes.

Ex.: (Aubry, 1986; Coriat, 1997; Stefan, 1991).

(h) No caso de documentos com diferentes datas de publicação e um mesmo autor, citam-se o sobrenome do autor e os anos de publicação em ordem cronológica.

Ex.: Mannoni (1981, 1990, 1995).

(i) Em citações de documentos com mesma data de publicação e mesmo autor, deve-se acrescentar letras minúsculas após o ano da publicação.

Ex.: Winnicott (1975a, 1975b) ou (Winnicott, 1975a, 1975b).

(j) Para citações de informações obtidas por meio de canais informais (aula, confer ência, comunicação pessoal, correspondência pessoal etc.), acrescentar a informação entre parênteses após a citação.

Ex. : (Informação verbal, 27 de julho de 2002). (k) Para citações obtidas de Homepage ou Web Site cita-se o endereço eletrônico de preferência entre parênteses após a informação.

Ex.: (www.bvs-psi.org.br)

Obs. : Não é necessário listá-lo na relação de referências no final do texto.

k-) Para citações obtidas de Homepage ou Web Site cita-se o endereço eletrônico de preferência entre parênteses após a informação. Ex.: (www.bvs-psi.org.br)

(l) Na citação de obras antigas e reeditadas, cita-se primeiramente a data da publicação original, separada por barra da data da edição consultada.

Ex.: Freud (1930/1980) ou (Freud, 1930/1980) Skinner (1953/1989) ou (Skinner, 1953/1989)

(m) Citação do local da publicação De acordo com a APA (2001), grandes cidades reconhecidas internacionalmente por suas publicações não necessitam apresentar o Estado ou país. No caso do Brasil adotamos não mencionar a sigla do Estado para as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Exemplos:

Pfromm Neto, S. (1990). Psicologia: Introdução e guia de estudo (2a ed.). São Paulo: EPU.

Foucault, M. (1980). Historia da sexualidade: A vontade de saber (3a ed.). Rio de Janeiro: Graal.

Dalgalarrondo, P. (2000). Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. Porto Alegre, RS: ARTMED.

Oliveira, V. B., & Bossa, N. A. (Orgs.). (1996). Avaliação psicopedagógica da criança de sete a onze anos. Petrópolis, RJ: Vozes.

Normas para referências bibliográficas

Devem ser apresentadas no final do texto e figurar em uma nova página. Sua disposição deve ser em ordem alfabética do último sobrenome do autor e constituir uma lista encabeçada pelo título REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS. No caso de mais de uma obra de um mesmo autor, as referências deverão ser dispostas em ordem cronológica de publicação.

Exemplos:

(a) Livros

Lacan, J. (1992). O seminário, livro 3: As psicoses, 1955-1956 (A. Menezes, trad.). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1990). Le séminaire, livre 11 : Les quatre concepts fondamentaux de la psychanalyse, 1964. Paris: Seuil.

Bion, W. R. (1991). O aprender com a experiência (P. D. Corrêa, trad.). Rio de Janeiro: Imago.

Freitag, B. (1991). Piaget e a filosofia. São Paulo, SP: Universidade Estadual Paulista.

Obs. 1: Quando o autor é o organizador da obra

Oliveira, V. B., & Bossa, N. A. (Orgs.). (1996). Avaliação psicopedagógica da criança de sete a onze anos. Petrópolis, RJ: Vozes.

Obs. 2: Obras com indicação da data da edição original

Winnicott, D. W. (1989). Objetos transicionais e fenômenos transicionais. In D. W. Winnicott, O brincar e a realidade (pp. 13-44). São Paulo: Martins Fontes. (Trabalho original publicado em 1971)

(b) Capítulos de livros

Freud, S. (1996). Sobre o narcisismo: uma introdução. In S. Freud, Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (J. Salomão, trad., Vol. 14, pp. 77-113). Rio Janeiro: Imago. (Trabalho original publicado em 1914)

Freud, S. (1973). El yo y el ello. In S. Freud, Obras completas (L. Lopez-Ballesteros & De Torres, trads., 3a ed., Vol. 3, pp. 2701- 2728). Madrid: Biblioteca Nueva. (Trabalho original publicado em 1923)

Lacan, J. (1988). De uma questão preliminar a todo tratamento possível da psicose. In J. Lacan, Escritos (V. Ribeiro, trad., pp. 537-590). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Ruffino, R. (1993). Sobre o lugar da adolescência na teoria do sujeito. In C. R. Rappaport (Org.), Adolescência: Abordagem psicanalítica (pp. 25-56). São Paulo: Ed. Pedagógica e Universitária.

(c) Artigo de revista

Miller, J.-A. (2003). O último ensino de Lacan. Opção Lacaniana, (35), 5-24.

Levin, E. (1998). A garatuja como vestígio das letras. Estilos da Clínica: Revista sobre a Infância com Problemas, 3 (4), 120-3.

Santeiro, T. V. (2000, julho/dezembro). Criatividade em psicanálise: Produção científica internacional (1996-1998). Psicologia: Teoria e Prática, 2(2), 43-59.

(d) Trabalho de evento publicado em resumos ou anais

Alves, I. C. B., Ruivo, R. J. & Colosio, R. (1992). O Teste R-1: precisão e estudos dos itens. In Resumos de Comunicações Científicas, XXII Reunião Anual de Psicologia (p.31). Ribeirão Preto, SP: Sociedade de Psicologia de Ribeirão Preto.

Amaral, L. A. (2001). Atividade física e diferença significativa/deficiência: algumas questões psicossociais remetidas à inclusão/ convívio pelo (pp. 30-31). In Anais, 4. Congresso Brasileiro de Atividade Motora Adaptada, 2001, Curitiba, PR. Curitiba, PR: SOBAMA.

(e) Tese ou dissertação

Granja, E. C. (1995). Produção científica: Dissertações e teses do IPUSP (1980/1989). Tese de Doutorado, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

(f) Jornal Artigo

Frayze-Pereira, J. A. (1998, 22 de maio). Arte destrói a comunicação comum e instaura a incomum. Folha de S. Paulo, São Paulo, Caderno 5, p. 24.

Entrevista publicada

Silveira, E. (1992, 23 de agosto). O ideal moderno de namorado [Entrevista com César Ades]. Jornal do Brasil, p. 9.

(g) Documentos extraídos de fontes eletrônicas Artigo de periódico

Paiva, G. J. (2000). Dante Moreira Leite: Um pioneiro da psicologia social no Brasil. Psicologia USP, 11(2). Recuperado em 12 mar. 2001, da SciELO (Scientific Electronic Library OnLine): http:// www.scielo.br

Resumo de artigo de periódico

Bernardino, L. M. F. (2001). A clínica das psicoses na infância: Impasses e invenções [Resumo]. Estilos da Clínica: Revista sobre a Infância com Problemas, 6(11), 82-91. Recuperado em 9 jan. 2003, da Base de Dados Index Psi Periódicos: http://www.bvspsi. org.br

Texto

Walker, J. R., & Taylor, T. (2000, March). The elements of citation. New York: Columbia University Press. Texto recuperado em 31 mar. 2001: http://www.columbia.edu/ cu/cup/cgos/basic.htm

 

e-mail: revistaestilosdaclinica@usp.br



 

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.

  1. A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  2. O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word.
  3. URLs para as referências foram informadas quando possível.
  4. O texto está em espaço simples; usa uma fonte de 12-pontos; emprega itálico em vez de sublinhado (exceto em endereços URL); as figuras e tabelas estão inseridas no texto, não no final do documento na forma de anexos.
  5. O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista.
  6. Em caso de submissão a uma seção com avaliação pelos pares (ex.: artigos), as instruções disponíveis em Assegurando a avaliação pelos pares cega foram seguidas.
 

Declaração de Direito Autoral

O envio dos manuscritos deverá ser acompanhado de carta à Comissão Executiva solicitando a publicação. Na carta, o(s) autor(es) deve(m) informar eventuais conflitos de interesse - profissionais, financeiros e benefícios diretos ou indiretos - que possam vir a influenciar os resultados da pesquisa. Devem, ainda, revelar as fontes de financiamento envolvidas no trabalho, bem como garantir a privacidade e o anonimato das pessoas envolvidas. O material deve ser acompanhado também de uma declaração de direito autoral do(s) autore(s) atestando o ineditismo do trabalho, conforme o seguinte modelo:

  

Eu, __________, concedo à revista o direito de primeira publicação e declaro que o artigo intitulado __________, apresentado para publicação na revista Estilos da Clínica, não foi publicado ou apresentado para avaliação e publicação em nenhuma outra revista ou livro, sendo, portanto, original.

 

 

 

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.