Compreender a subjetividade dos adolescentes acolhidos no instituto médico-educativo: interesses, limites e perspectivas sobre ferramentas de psicologia clínica

  • Marie-Anne Ecotière
Palavras-chave: prática de pesquisa, deficiência intelectual, subjetividade, psicologia clínica, adolescentes

Resumo

Interessar-se pelo ponto de vista subjetivo das pessoas como parte da investigação em psicologia clínica inclui indiscutíveis questões éticas. Há ainda a questão de saber quais ferramentas permitem, na melhor das hipóteses, compreendê-los quando os sujeitos tratados têm limita- ções cognitivas. Este artigo se propõe a discutir os interesses e os limites das ferramentas de psicologia clínica para capturar, da forma mais minuciosa possível, as representações singulares e subjetivas das pessoas, a partir da ilustração de um trabalho de doutoramento realizado com adolescentes acolhidos em ambiente especializado

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marie-Anne Ecotière
Psicóloga. Doutora em Psicologia Clínica pela Universidade de Rouen (PSY-NCA), Mont-Saint-Aignan, França
Publicado
2016-12-17
Como Citar
Ecotière, M.-A. (2016). Compreender a subjetividade dos adolescentes acolhidos no instituto médico-educativo: interesses, limites e perspectivas sobre ferramentas de psicologia clínica. Estilos Da Clinica, 21(3), 639-656. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v21i3p639-656
Seção
Artigos