Demanda diagnóstica na escola: entre querer-o-bem-do-sujeito e a escuta analítica

  • Beethoven Hortencio Rodrigues da Costa Universidade Ibirapuera
  • Cynthia Pereira De Medeiros Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: diagnóstico, educação, psicanálise

Resumo

Este estudo surge a partir de duas indagações: “qual é a utilidade de um diagnóstico na escola?” e “o que move essa demanda por diagnóstico?”. Tais questionamentos foram elaborados em resposta à demanda diagnóstica produzida no contexto do nosso estágio em Psicologia Escolar/Educacional. Para discutir nossa posição, partimos de dois casos e os submetemos à construção e análise. Como resultado, encontramos que não há como saber, a priori, o que será feito de um diagnóstico e quais serão seus usos. Assim, mais do que saber o que move a demanda, o importante são os usos do sujeito e a nossa posição diante dela para que eles possam engendrar um trabalho.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beethoven Hortencio Rodrigues da Costa, Universidade Ibirapuera

Professor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia/Psicossomática da Universidade Ibirapuera, São Paulo, SP, Brasil.

Cynthia Pereira De Medeiros, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Psicóloga e psicanalista. Professora adjunta do Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Rio
Grande do Norte (UFRN), Natal, RN, Brasil.

Publicado
2018-12-31
Como Citar
Costa, B., & De Medeiros, C. (2018). Demanda diagnóstica na escola: entre querer-o-bem-do-sujeito e a escuta analítica. Estilos Da Clinica, 23(3), 590-610. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v23i3p590-610