Risco, detecção e prevenção: sobre a contribuição da psicanálise no trabalho institucional com crianças desnutridas

  • Beatriz Sernache de Castro Neves Universidade Federal do Ceará
  • Maria Celina Peixoto Lima Universidade de Fortaleza
  • Débora Passos de Oliveira Universidade de Fortaleza
Palavras-chave: risco psíquico, vulnerabilidade, intervenção psicanalítica precoce

Resumo

O presente trabalho testemunha a experiência clínico-institucional no setor de intervenção psicanalítica do Instituto da Primeira Infância, situado na cidade de Fortaleza – Ceará, cujo ofício se dirige a famílias em condições de vulnerabilidade social e, em particular, a crianças que apresentam estado de desnutrição. Partindo de uma contextualização crítica das noções de vulnerabilidade e risco, o artigo tem como objetivo apresentar um dispositivo institucional voltado para a detecção e prevenção de risco psíquico, orientado pelas contribuições advindas da teoria psicanalítica sobre a constituição psíquica e, mais recentemente, da clínica com bebês. Destaca-se um caso clínico acompanhado pelo setor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Sernache de Castro Neves, Universidade Federal do Ceará

Psicóloga do Instituto da Primeira Infância, doutoranda em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Ceará. Docente do curso de Psicologia da Faculdade Ari de Sá, Fortaleza, CE, Brasil.

Maria Celina Peixoto Lima, Universidade de Fortaleza

Docente da Universidade de Fortaleza, Fortaleza, CE, Brasil.

Débora Passos de Oliveira, Universidade de Fortaleza

Docente da Universidade de Fortaleza, Fortaleza, CE, Brasil.

Publicado
2018-12-31
Como Citar
Neves, B., Lima, M. C., & Oliveira, D. (2018). Risco, detecção e prevenção: sobre a contribuição da psicanálise no trabalho institucional com crianças desnutridas. Estilos Da Clinica, 23(3), 638-654. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v23i3p638-654