Notas sobre a história da adolescência

transformações e repetições

Autores

  • Bruna Rabello de Moraes Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Amadeu de Oliveira Weinmann Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Departamento de Psicanálise e Psicopatologia do Instituto de Psicologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v25i2p280-296

Palavras-chave:

Adolescência, História, Psicanálise

Resumo

Este artigo tem origem em debates atuais em torno da adolescência. Nesses debates, ele assume a premissa teórica de que a adolescência é uma construção cultural, isto é, de que uma noção de adolescência sempre é tributária do contexto que a define. A fim de escutar discursos sociais sobre esse tema, nos debruçamos sobre alguns estudos históricos acerca da adolescência, assim como sobre algumas produções culturais que participaram da formulação do que se entende por adolescência em cada tempo. A partir das transformações e repetições encontradas, definimos as seguintes categorias de análise, que nos parecem cruciais na compreensão do objeto de nosso estudo: adolescência e rituais de iniciação; marcas iniciais; juventude temida; metáfora da mudança social; subcultura adolescente. Por fim, sugerimos que a adolescência talvez seja, em nossas sociedades, uma dobradiça entre as angústias que conjuramos e a possibilidade de encontrar um destino simbólico para essas angústias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Rabello de Moraes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Psicóloga. Mestre pelo programa Psicanálise: Clínica e Cultura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Amadeu de Oliveira Weinmann, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Departamento de Psicanálise e Psicopatologia do Instituto de Psicologia

Psicanalista. Professor Associado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

Ariès, P. (1981). História social da criança e da família (D. Flaksman, trad., 2a ed.). Rio de Janeiro, RJ: LTC. (Trabalho original publicado em 1960).

Calligaris, C. (2009). A adolescência. São Paulo, SP: Publifolha.

César, M. R. A. (1999). Da adolescência em perigo à adolescência perigosa. Educar em Revista, 1(15), 1-7. doi: 10.1590/0104-4060.187.

Coutinho, L. G. (2009). Adolescência e errância: destinos do laço social contemporâneo. Rio de Janeiro, RJ: FAPERJ.

Erikson, E. (1976). Identidade, juventude e crise (Á. Cabral, trad., 2a ed.). Rio de Janeiro, RJ: Zahar. (Trabalho original publicado em 1968).

Freud, S. (2014). Totem e tabu. In S. Freud, Obras completas (Vol. 11: Totem e tabu e outros trabalhos, S. Terarolli, trad., pp. 9-176). São Paulo, SP: Companhia das Letras. (Trabalho original publicado em 1913).

Freud, S. (2014). O inquietante. In S. Freud, Obras completas (Vol. 14: História de uma neurose infantil (“homem dos lobos”), além do princípio do prazer e outros textos, S. Terarolli, trad., pp. 249-311). São Paulo, SP: Companhia das Letras. (Trabalho original publicado em 1919).

Gurski, R. (2008). Juventude e paixão pelo real: problematizações sobre experiência e transmissão no laço social atual (Tese de doutorado, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul). Recuperado de https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/15579.

Hobsbawm, E. (1995). Era dos extremos: o breve século XX (M. Santarrita, trad.). São Paulo, SP: Companhia das Letras. (Trabalho original publicado em 1994).

Kehl, M. R. (1998). Deslocamentos do feminino: a mulher freudiana na passagem para a modernidade. Rio de Janeiro, RJ: Imago.

Kerouac, J. (2012). On the road – pé na estrada (E. Bueno, trad.). São Paulo, SP: L&PM Pocket. (Trabalho original publicado em 1957).

Le Breton, D. (2017). Uma breve história da adolescência (A. M. C. Guerra et al., trads.). Belo Horizonte, MG: PUC Minas. (Trabalho original publicado em 2013).

Levisky, D. L. (2004). Um monge no divã. O adolescer de Guibert de Nogent (1055-1125?): uma análise histórico-psicanalítica (Tese de doutorado, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo). Recuperado de https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-19052005-173437/pt-br.php.

My Chemical Romance. (2006). Teenagers. In The black parade [CD]. Estados Unidos: Warner Music.

Palacios, J. (2004). Introdução à psicologia evolutiva: história, conceitos básicos e metodologia. In C. Coll, J. Palacios, & A. Marchesi (Orgs.), Desenvolvimento psicológico e educação: psicologia evolutiva (D. V. Moraes, trad., 2a ed., Vol. 1, pp. 13-53). Porto Alegre, RS: Artes Médicas. (Trabalho original publicado em 1993).

Passerini, L. (1996). A juventude, metáfora da mudança social. Dois debates sobre os jovens: a Itália fascista e os Estados Unidos da década de 1950. In G. Levi & J. Schimitt (Orgs.), História dos jovens 2 (N. Moulin, trad., pp. 319-382). São Paulo, SP: Companhia das Letras. (Trabalho original publicado em 1994).

Pink Floyd. (1972). Childhood’s end. In Obscured by clouds [disco]. Reino Unido: Harvest.

Rey, P. (1990). Uma temporada com Lacan (M. C. Sieni, trad.). Rio de Janeiro, RJ: Rocco. (Trabalho original publicado em 1989).

Rodulfo, R. (1997). Um novo ato psíquico: a inscrição ou a escrita do nós na adolescência. In Associação Psicanalítica de Porto Alegre (Org.), Adolescência: entre o passado e o futuro (pp. 271-280). Porto Alegre, RS: Artes e Ofícios.

Ruffino, R. (1995). Adolescência: notas em torno de um impasse. Revista da Associação Psicanalítica de Porto Alegre, 1(11), 41-46.

Salinger, J. D. (2012). O apanhador no campo de centeio (A. Alencar, A. Rocha & J. Dauser, trads., 18a ed.). Rio de Janeiro, RJ: Editora do Autor. (Trabalho original publicado em 1951).

Savage, J. (2009). A criação da juventude: como o conceito de teenage revolucionou o século XX (T. M. Rodrigues, trad.). Rio de Janeiro, RJ: Rocco. (Trabalho original publicado em 2007).

Sweet. (1974). Teenage rampage. In Teenage rampage [disco]. Estados Unidos: Essential Records.

The Who. (1965). My generation. In The Who sings my generation [disco]. Estados Unidos: Brunswick Records.

Weinmann, A. O. (2012). Juventude transgressiva: sobre o advento da adolescência. Psicologia & Sociedade, 24(2), 382-390. doi: https://doi.org/10.1590/S0102-71822012000200016.

Downloads

Publicado

2020-08-29

Como Citar

Moraes, B. R. de, & Weinmann, A. de O. (2020). Notas sobre a história da adolescência: transformações e repetições. Estilos Da Clinica, 25(2), 280-296. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v25i2p280-296