De Saussure a Lacan e vice-versa

uma barreira resistente à significação no campo da fala e da linguagem

  • Marcos Paulo Lopes Pessoa Faculdade Montessoriano
Palavras-chave: Linguística, Psicanálise, Saussure, Lacan, Significação

Resumo

A influência da teoria saussuriana na letra de Jacques Lacan e suas consequências para a psicanálise ainda hoje é tema de grande debate tanto entre psicanalistas como entre linguistas. A presente pesquisa visa reintroduzir tal discussão à luz dos manuscritos de Ferdinand de Saussure conhecidos como De la double essence du langage que se tornaram públicos somente em 1996 e por consequência ignorados por Jacques Lacan. Para isso, partimos da seguinte questão: em tais manuscritos de Saussure, quais são os elementos teóricos – distintos aos do Cours de linguistique générale – que podem justificar uma reintrodução do diálogo entre a sua semiologia e a teoria lacaniana do significante no que concerne à concepção de “barreira resistente à significação”? Com o objetivo de respondê-la, procuramos conduzir um fio interpretativo a partir de três coordenadas interdependentes: (1) a concepção de resistência desenvolvida por Freud e sua relação com o conceito de recalque; (2) a leitura feita por Lacan da resistência freudiana a partir dos avanços oriundos da teoria do signo de Saussure; (3) a ideia de significação como efeito da relação entre significantes presente no modelo de signo encontrado nos manuscritos saussurianos e sua importância à concepção de estrutura. Desenvolvemos, neste estudo, uma pesquisa em psicanálise de cunho teórico que se guia basicamente pelas letras freudiana, lacaniana e saussuriana. Focamos nossa tese na questão da resistência à significação revelada por Lacan em sua interpretação do signo proposto por Saussure. Este estudo nos levou ao entendimento de que a ideia de resistência à significação é uma chave de leitura do modelo de signo linguístico descrito no manuscrito, uma vez que ele se mostra um componente negativo, efêmero e que somente possui existência na relação com outros signos em um sistema em constante movimento. Com isso, encontramos na ideia de “barreira resistente à significação” de Lacan uma chave de leitura para a noção de significação como se mostra em De la double essence du langage.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-30
Como Citar
Pessoa, M. P. (2019). De Saussure a Lacan e vice-versa. Estilos Da Clinica, 24(3), 516-517. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v24i3p516-517
Seção
Atualidades da Pesquisa