[1]
Paolo, A. e Barros, C. 2010. Considerações acerca do brincar e do estatuto da fantasia a partir de proposições teóricas que baseiam a pesquisa IRDI. Estilos da Clinica. 15, 1 (jun. 2010), 178-193. DOI:https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v15i1p178-193.