[1]
M. Hermann, “Acompanhamento terapêutico, sua criação em uma montagem institucional de tratamento e as ofertas de laço socia”l, ESTIC, vol. 15, nº 1, p. 40-59, jun. 2010.