Em nome do poder: estratégias enunciativas de construção das campanhas televisivas do plebiscito de 2011 no Pará

  • Evelyn Cristina Ferreira de Aquino Universidade do Minho, Braga, Portugal
  • Alda Cristina Silva da Costa Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: Estratégias enunciativas, Plebiscito no Pará, Campanhas Televisivas, Amazônia

Resumo

O estado do Pará viveu, em 2011, um evento inédito na história do país, quando, no mês de dezembro, a população paraense foi consultada para se manifestar em um plebiscito sobre a criação de dois novos estados no seu território, Carajás e Tapajós. Na presente proposta, refletimos sobre como as campanhas televisivas do plebiscito para criação desses dois novos estados constituíram-se em estratégias enunciativas com a finalidade de defender as propostas das frentes contrárias à criação do Carajás e do Tapajós e das frentes favoráveis ao surgimento deles. Na análise, foram selecionados os programas televisivos do horário gratuito de propaganda eleitoral a partir da perspectiva discursiva/teórica bakhtiniana e do pensamento do Círculo, considerando que vozes diferentes entre si estabelecem relações dialógicas. O discurso é tomado como um fenômeno social de inscrição valorativa do sujeito e de sua posição frente a outros discursos impregnados de intenções ideológicas, de caráter político-partidário. A análise mostrou que as frentes contrárias à criação dos estados trabalharam com estratégias enunciativas que as colocaram como protetoras da integridade regional e dos valores multiculturais contra as investidas de interesses externos. Já as frentes favoráveis aos estados autonomearam-se defensoras do desenvolvimento do Pará, contra a estagnação econômica do estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AQUINO, Evelyn. Sim ou não? O plebiscito no Pará em 2011, estratégias discursivas e sentidos nas campanhas televisivas. 2015. 164 p. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) Instituto de Letras e Comunicação, Universidade Federal do Pará, Belém.

BAKHTIN, Mikhail. O discurso no romance. In: ______. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. 5. ed. São Paulo: Unesp, 2002.

______. Gêneros do discurso. In: BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003, p. 261-306

______. O romance polifônico de Dostoiévski e seu enfoque na crítica literária. In: ______. Problemas da poética de Dostoiévski. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005, p. 3 a 45.

BAKHTIN, Mikhail. (VOLOCHÍNOV). Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. 16. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

BECKER, Bertha. Amazônia. 3. ed. São Paulo: Ática, 1994.

BRAIT, Beth (Org.). Bakhtin: conceitos-chave. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2013.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília-DF, Senado, 1988. Disponível em: [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm]. Acesso em: 22 jan. 2013.

BRASIL. Resolução 23.354, de 18 de agosto de 2011. Dispõe sobre a propaganda plebiscitária e as condutas ilícitas nos plebiscitos no Estado do Pará. Disponível em: [http://www.justicaeleitoral.jus.br/arquivos/resolucao-23354]. Acesso em: 15 jul. 2013.

BUENO, Magali. O imaginário brasileiro sobre a Amazônia: uma leitura por meio dos discursos dos viajantes, do Estado, dos livros didáticos de Geografia e da mídia impressa. 2002. 197 p. Dissertação (Mestrado em Geografia) Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

DUTRA, Manuel. O Pará dividido: discurso e construção do Estado do Tapajós. Belém: NAEA/UFPA, 1999.

FRANÇA, Vera. Discurso de identidade, discurso de alteridade: a fala do outro. In: FRANÇA, Vera. (Org.). Imagens do Brasil: modos de ver, modos de conviver. Belo Horizonte: Autêntica, 2002, p. 27-43.

______. A TV e a dança dos valores: roteiro analítico para tratar da relação entre televisão e sociedade. In: FRANÇA, V.; CORRÊA, L. (Org.). Mídia, instituições e valores. Belo Horizonte: Autêntica, 2012, p. 37-43.

GOMES, Wilson. Transformações da política na era da comunicação de massa. São Paulo: Paulus, 2004.

PETIT, Père. Chão de promessas: elites políticas e transformações econômicas no estado do Pará pós-1964. Belém: Paka-Tatu, 2003.

PIOVEZANI, Carlos. Verbo, corpo e voz: dispositivos de fala pública e produção da verdade no discurso político. São Paulo: UNESP, 2009.

PONTE, Romero. Amazônia: a hipérbole e o pretexto. 2000. 197 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Pará, Belém, 2000.

SOUZA, Carlos. A secessão nortista: aspectos socioeconômicos da redivisão territorial no Estado do Pará. Disponível em: <http://www.bancoamazonia.com.br/bancoamazonia2/Revista/edicao_09/C&D_N_9_Secessao_Nortista.pdf>. Acesso em: 18 fev. 2014.

TRIBUNAL SUPEIOR ELEITORAL. Disponível em: <http://www.tse.jus.br/eleicoes/plebiscitos-e-referendos>. Acesso em: 23 mar. 2013.

WOOD, C.; SCHMINK, Marianne. Conflitos sociais e a formação da Amazônia. Belém: EDUFPA, 2012.

Publicado
2018-12-27
Como Citar
Aquino, E. C., & da Costa, A. C. (2018). Em nome do poder: estratégias enunciativas de construção das campanhas televisivas do plebiscito de 2011 no Pará. Revista Extraprensa, 12(1), 131-151. https://doi.org/10.11606/extraprensa2018.141287