Metacrítica: experiências jornalísticas que configuram narrativas da diversidade

Autores

  • Marta Regina Maia Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP
  • Dayane do Carmo Barretos Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

DOI:

https://doi.org/10.11606/extraprensa2018.148021

Palavras-chave:

Narrativas, Jornalismo, Metacrítica, Diversidade

Resumo

Este artigo apresenta uma discussão voltada para as possibilidades engendradas por experiências jornalísticas que acionam novas narrativas sobre a realidade. Consideramos, para efeito de análise, duas pesquisas finalizadas em 2017, que seguem um aporte metodológico da análise da narrativa das produções e dos livros-reportagem das jornalistas Eliane Brum, Fabiana Moraes e Daniela Arbex e as produções do projeto Ponte: Direitos humanos, justiça e segurança pública. Localizamos, a partir de um diagnóstico do campo jornalístico e por intermédio das análises, novos contornos estruturais, profissionais e estéticos do campo, o que configura um movimento de metacrítica - emergente dessas novas experiências -, e que promove narrativas plurais e diversas sobre a realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marta Regina Maia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP

Docente associada do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP. Líder do Grupo de Pesquisa “Jornalismo, Narrativas e Práticas Comunicacionais” (JorNal/CNPq). Coordena projetos de pesquisa sobre narrativas jornalísticas, na intersecção entre história, memória, crítica e midiatização. 

Dayane do Carmo Barretos, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Graduada em Jornalismo e Mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP. Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), é professora substituta no curso de Jornalismo da UFOP. 

Referências

ANTUNES, E. (2016). Na cena da notícia: vestígios do jornalismo no assassinato de mulheres. In M. L. Martins; M. L. Correia; P. Bernardo Vaz & Elton Antunes (Eds.), Figurações da morte nos média e na cultura: entre o estranho e o familiar (pp. 49-69). Braga: CECS.

ARBEX, Daniela. Cova 312. São Paulo: Geração Editorial, 2015.

BARRETOS, Dayane do Carmo. Experimentar encontros e compartilhar sentidos: a escrita de si e do outro nas narrativas de jornalistas brasileiras. 2017. 167 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Instituto de Ciências Sociais e Aplicadas, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2017.

BOLTANSKI, Luc e CHIAPELLO, Ève. O espírito do capitalismo e o papel da crítica. In BOLTANSKI, L. e CHIAPELLO, È. O novo espírito do capitalismo. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009, p. 31-79.

BRAGA, José Luiz. Circuitos versus campos sociais. In: JACKS, Nilda; JUNIOR, JederJanotti; MATTOS, Maria Ângela (Orgs.). Mediação & Midiatização. Salvador: EDUFBA; Brasília: Compós, 2012, p. 31-52.

BRUM, Eliane. O olho da rua: uma repórter em busca da literatura da vida real. São Paulo: O Globo, 2008.

DEUZE, Mark; WITSCHGE, Tamara. Além do jornalismo. In: Leituras do jornalismo. Ano 2, vol. 2, jul/dez 2015, p. 1-31. Disponível em: http://www2.faac.unesp.br/ojs/index.php/leiturasdojornalismo/article/view/74 Acesso em 29 mar. 2018.

______________________________. O que o jornalismo está se tornando. In: Parágrafo. v. 4, n.2, 2016, p. 8-21.

DEWEY, John. The Publicand its problems. Athens: Shallow Press, 1980.

FAUSTO NETO, Antonio. Fragmentos de uma analítica da midiatização. Matrizes, São Paulo, v. I, n. 2, p. 89-105, abr. 2008.

Fígaro, Roseli. (2013). Atividade de comunicação e trabalho dos jornalistas. Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação/E-compós, Brasília, v. 16, nº 1.

FONTCUBERTA, Mar de. La noticia: Pistas para percibirel mundo. Barcelona: Paidós, 1993.

FRANÇA, Vera. O objeto e a pesquisa em comunicação: uma abordagem relacional. In:

MOURA, Cláudia Peixoto de. LOPES, Maria ImmacolataVassallo de (org.). Pesquisa em Comunicação:Metodologias e práticas acadêmicas. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2016.

MAIA, Marta R., DRUMOND, Rafael e ANICETO, Caio M. R. PRÁTICA METACRÍTICA: a configuração de novas narrativas jornalísticas. BrazilianJournalismResearch, Volume 13, Número 2, Agosto, 2017, p. 72-95.

MEDINA, Cremilda. O signo da relação: Comunicação e pedagogia dos afetos. São Paulo: Paulus, 2006.

MORAES, Fabiana. O nascimento de Joicy. Porto Alegre: Arquipélago Editorial, 2015.

NEVEU, Erick. As notícias sem jornalistas. Uma ameaça real ou uma história de terror? In: BrazilianJournalismResearch. Volume 6 - Número 1 – 2010, p. 29-57. Disponível em: http://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/view/246 Acesso em 29 mar. 2018.

QUÉRÉ, Louis. D’unmodèleépistemologique de la communication à unmodèlepraxéologique. In: RÉSEAUX n° 46/47. Paris: Tekhné, mar-abril 1991.

SILVA, Gislene. De que campo do jornalismo estamos falando?. In: Matrizes. Ano 3, n. 1, ago/dez, 2009, p. 197-212.

SILVERSTONE, Roger. La moral de los medios de comunicación: Sobre el nacimiento de la polis de los medios. Buenos Aires: Amorrortu, 2010.

VIANA, Natalia. São Gabriel e seus demônios, 2015. Disponível em: http://apublica.org/2015/05/sao-gabriel-e-seus-demonios/ Acesso em: 08 mai. 2018.

SOARES, Rosana de Lima; SILVA, Gislene. Lugares da crítica na cultura midiática. Comunicação, mídia e consumo, São Paulo, v. 13, n. 37, p. 9-28, 2016. Disponível em: http://revistacmc.espm.br/index.php/revistacmc/article/view/1140. Acesso em 10 fev. 2018.

Downloads

Publicado

2018-08-31

Como Citar

Maia, M. R., & Barretos, D. do C. (2018). Metacrítica: experiências jornalísticas que configuram narrativas da diversidade. Revista Extraprensa, 11(2), 123-144. https://doi.org/10.11606/extraprensa2018.148021