Construção do Nordeste no telejornalismo: um estudo do Jornal Hoje

Palavras-chave: Nordeste, Representação, Visibilidade, Regionalismo, Telejornalismo

Resumo

Este artigo traz uma análise sobre como a região Nordeste é enquadrada e representada pelo Jornal Hoje (JH), da Rede Globo. De acordo com a literatura, por muito tempo a região foi caracterizada por diversos estereótipos construídos socialmente e reforçados pelos meios de comunicação. Deste modo, para cumprir com os objetivos propostos e verificar se essa construção a respeito do Nordeste se repete, esta pesquisa utiliza-se da análise de conteúdo, quantitativo e qualitativo. Foram analisadas 75 edições, quantificando 157 matérias sobre ou com menções à região, nos meses de fevereiro, junho e setembro de 2018 de todo o conteúdo do JH. Os principais resultados mostram que há representatividade e visibilidade restrita e a presença de alguns dos estereótipos abordados previamente na literatura acerca do Nordeste, no JH.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sarah Dantas do Rego Silva, Universidade Federal do Maranhão

Mestranda em Comunicação pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA)/Capes, campus Imperatriz. Graduada em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo pela mesma instituição.

Michele Goulart Massuchin, Universidade Federal do Paraná

Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM), do Programa de Pós-graduação em Ciência Política (PPGCP) e do Departamento de Comunicação (DECOM) da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Doutora em Ciência Política pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Referências

AGUIAR, Sonia. Territórios do Jornalismo: geografias da mídia local e regional no Brasil. Petrópolis: Vozes, Rio de Janeiro: Editora PUC-Rio, 2016.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz. A invenção do Nordeste e outras artes. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

BARBALHO, Alexandre. Estado, mídia e identidade: políticas de cultura no Nordeste contemporâneo. Revista Alceu, Rio de Janeiro, v. 4, n. 8, p. 156-167, 2004.

BAUER, Martin. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: BAUER, Martin; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002, p. 189-217.

BAZI, Rogério Eduardo Rodrigues. TV Regional: trajetórias e perspectivas. Campinas: Alínea, 2001.

BELÉM, Vitor Curvelo Fontes. Arraiá na tela: a construção midiática das festas juninas em Sergipe. 2010. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica) – Departamento de Comunicação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.

BIROLI, Flávia. A reprodução dos estereótipos no discurso jornalístico. In: BIROLI, Flávia; MIGUEL, Luís Felipe. Notícias em disputa: mídia, democracia e formação de referências no Brasil. São Paulo: Contexto, 2017, p. 117-145.

CARVALHO, Carlos Alberto de. Sobre limites e possibilidades do conceito de enquadramento jornalístico. Contemporânea, Salvador, v. 7, n. 2, p. 1-15, 2009.

ECHEVERRIA, Renata. Quando o estado do Maranhão virou Sergipe no Jornal Nacional: uma análise do discurso do Nordeste no telejornal da Globo. In: SOCIEDADE BRASILEIRA DE JORNALISMO, 13, 2015, Campo Grande. Anais […]. Campo Grande: UFMS, 2015, p. 1-17

FAEZ, Ana Paula et al. A chuteira na mídia: a predominância do futebol na imprensa campineira. Iniciacom, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 51-57, 2006.

FELIPPI, Angela Cristina Trevisan; PICCININ, Fabiana Quatrin. As representações do território: as regiões do Rio Grande do Sul no programa Jornal Nacional. Redes, Santa Cruz do Sul, v. 17, n. 3, p. 154-167, 2012.

GALTUNG, Johan; RUGE, Mari Holmboe. The structure of foreign news: the presentation of the Congo, Cuba and Cyprus crises in four Norwegian newspapers. Journal of peace research, Oslo, v. 2, n. 1, p. 64-90, 1965.

GOFFMAN, Erving. Frame analysis: los marcos de la experiencia. Madrid: Siglo XXI, 2006.

GUARESCHI, Pedrinho Arcides. Representações sociais e ideologia (social representations and ideology). Revista de Ciências Humanas, Florianópolis, n. 2, p. 33-46, 2000.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação. Rio de Janeiro, 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Características gerais dos domicílios e dos moradores 2018. Rio de Janeiro, 2018 Disponível em: http://bit.ly/2TGiJUT. Acesso em: 17 jan. 2020.

INSTITUTO DE PESQUISA E ECONOMIA APLICADA. Homicídios. Atlas da violência. 2018. Disponível em: http://bit.ly/2NJLuwe. Acesso em: 31 out. 2018.

LEITÃO, Juliana Andrade; SANTOS, Maria Salett Tauk. Imagem jornalística e representações sociais: a imagem dos Sertões. Intercom, São Paulo, v. 35, n. 1, p. 133-155, 2012.

LIMA, Edgley Duarte; FILHO, Pedro Oliveira. Discurso e identidade: a construção discursiva do Nordeste na mídia paraibana. Psicologia Política, São Paulo, v. 15, n. 34, p. 497-514, 2015.

LINO, Eduardo; FRANCISCO, Nicole. Critério de noticiabilidade: o factor proximidade!. Leiria: Instituto Polietécnico de Leiria, 2010, p. 1-9.

LUSVARGHI, Luiza Cristina. A reinvenção do Nordeste: estratégias dos grupos de mídia para o jornalismo audiovisual regional. Alterjor, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 2-18, 2012.

MOSCOVICI, Serge. La representación social: un concepto perdido. In: MOSCOVICI, Serge. El psicoanálisis, su imagen y su público, Buenos Aires: Huemul, 1979, p. 27-44.

NEVES, Frederico de Castro. O Nordeste e a historiografia brasileira. Ponta de Lança, São Cristóvão, v. 5, n. 10, p. 6-24, 2012. Disponível em: http://bit.ly/35O2KX3. Acesso em: 31 maio 2018.

OLIVEIRA, Vanessa Silva; ARAÚJO, Robéria Nádia Nascimento. Concepções e estigmas regionais do Nordeste no programa “Globo Rural. In: XXXIV CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 34., 2011, Recife. Anais […]. Recife: Unicap, 2011, p. 1-15.

RAMOS, Roberto; ZAMBERLAN, Liége. Mídia e previsão do tempo: uma questão de interpretação. Intexto, Porto Alegre, n. 13, p. 35-46, 2005.

SÁ, Antônio Fernando de Araújo. Memória do Cangaço no Sertão do São Francisco. Textos de História. Brasília, v. 17, n. 1, p. 133-142, 2009.

SANCHES, Carla Junqueira. Jornal Hoje: a convergência de mídias e a possibilidade de interatividade com o público. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Comunicação Social) – Faculdade de Comunicação Social de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2010.

SILVA, Gislene. Para pensar critérios de noticiabilidade. Estudos em jornalismo e mídia, Florianópolis v. 2, n. 1, p. 95-107, 2005.

SIQUEIRA, Fabiana Cardoso de; VIZEU, Alfredo. Jornalismo em transformação: as escolhas dos formatos de notícias na TV. In: VIZEU, Alfredo et al (org.). Telejornalismo em questão. Florianópolis: Insular, 2014, p. 53-76. (Coleção Jornalismo Audiovisual v. 3)

TRAQUINA, Nelson. Teorias do jornalismo: porque as notícias são como são. 3 ed. Florianópolis: Insular, 2012.

Publicado
2019-12-30
Como Citar
Silva, S., & Massuchin, M. (2019). Construção do Nordeste no telejornalismo: um estudo do Jornal Hoje. Revista Extraprensa, 13(1), 185-207. https://doi.org/10.11606/extraprensa2019.158986