Os precedentes da tormenta

crise do capital e a ascensão do conservadorismo ao comando do Estado brasileiro

  • Frederico Daia Firmiano Universidade do Estado de Minas Gerais (unidade Passos)
Palavras-chave: Conservadorismo, Neoliberalismo, Neodesenvolvimentismo, Crise, Bolsonaro

Resumo

Do último pleito eleitoral ao mais alto posto de comando do Estado brasileiro saiu vitorioso o candidato ultraconservador Jair Bolsonaro, rompendo o relativamente largo período de disputa entre os mais importantes partidos políticos do pós-ditadura de 1964, num quadro de ampla ascensão das forças sociais mais conservantistas da sociedade brasileira. O objetivo deste trabalho é examinar a história brasileira recente em busca de algumas pistas que nos permitam identificar a escalada das forças mais conservantistas da sociedade ao comando do Estado. Para tanto, procuramos combinar a análise de conjuntura, como um retrato dinâmico de uma realidade que visa ir além de dados empíricos que se apresentam na urgência da quadra atual, à análise histórica de mais amplo espectro da estrutura da sociedade brasileira, a partir de alguns de seus importantes intérpretes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Frederico Daia Firmiano, Universidade do Estado de Minas Gerais (unidade Passos)

Graduado em Comunicação Social pelo Centro Universitário Moura Lacerda (2004), mestrado em Sociologia (2009) e doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2014). É Professor-Assistente da Fundação de Ensino Superior de Passos - Universidade do Estado de Minas Gerais-Fesp (UEMG).

Referências

ALVES, José Eustáquio Diniz. Análise de conjuntura: teoria e método. Aparte: inclusão social em debate, Rio de Janeiro, p. 1-11, 1º jul. 2008. Disponível em: https://bit.ly/3dPiEVD. Acesso em: 15 maio 2020.

ANTUNES, Ricardo (org.). Riqueza e miséria do trabalho no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2006.

ANTUNES, Ricardo. As rebeliões de junho de 2013. Observatório Social da América Latina, Buenos Aires, ano 14, n. 34, p. 37-49, 2013. Disponível em: https://bit.ly/3cCocT8. Acesso em: 15 maio 2020.

ANTUNES, Ricardo. O continente do labor. São Paulo: Boitempo, 2011.

CARCANHOLO, Marcelo Dias. O atual resgate crítico da teoria marxista da dependência. Trabalho, educação e saúde, Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, p. 191-205, 2013. Disponível em: https://bit.ly/3fR09lu. Acesso em: 15 maio 2020.

CARLEIAL, Liana Maria da Frota. Política econômica, mercado de trabalho e democracia: o segundo governo Dilma Rousseff. Estudos Avançados, São Paulo, v. 29, n. 85, p. 201-214, 2015. Disponível em: https://bit.ly/362mqIB. Acesso em: 15 maio 2020.

DESEMPREGO no país sobe para 12,4% e atinge 13,1 milhões de pessoas. UOL, São Paulo, 29 mar. 2019. Disponível em: https://bit.ly/2Lw33OJ. Acesso em: 14 maio 2020.

FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil. 3 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

GONÇALVES, Vinícius Batista; ANDRADE, Daniela Meirelles. A corrupção na perspectiva durkheimiana: um estudo de caso da Operação Lava Jato. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 53, n. 2, p. 271-290, 2019. Disponível em: https://bit.ly/3cCpjCi. Acesso em: 15 maio 2020.

IANNI, Octavio. A sociedade global. 16. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

IANNI, Octavio. Raízes da anti-democracia na América Latina. Lua Nova, São Paulo, n. 14, p. 17-22, 1988.

JAMESON Frederic. Postmodernism or the Cultural Logic of Late Capitalism, New Left Review, London, n. 146, p. 1-12, 1984.

JAMESON, Fredric. A virada cultural: reflexões sobre o pós-moderno. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

JUNGBLUNT, Cristiane; BRESCIANI, Eduardo. Belluzo defende Dilma e diz que ela fez ‘despedalada fiscal’. O Globo, Rio de Janeiro, 26 ago. 2016. Disponível em: https://glo.bo/2WwY46D. Acesso em: 14 maio 2020.

KAMRADT, João; DI CARLO, Josnei. Bolsonaro e a cultura do politicamente incorreto na política brasileira. Teoria e Cultura, Juiz de Fora, v. 13, n. 2, p. 55-72, 2018. Disponível em: https://bit.ly/2LynHOg. Acesso em: 15 maio 2020.

KONDER, Leandro. Introdução ao fascismo. Rio de Janeiro: Edições do Graal, 1977.

LEIA a íntegra do discurso de Bolsonaro na cerimônia de posse no Congresso. Folha de S.Paulo, São Paulo, 1º jan. 2019. Caderno Poder. Disponível em: https://bit.ly/2WZ2vWG. Acesso em: 14 maio 2020.

LUKÁCS, G. El assalto a la razón: la trayectoria del irracionalismo desde Shelling hasta Hitler. México, DF: Grijalbo, 1972.

MARX, Karl. Manifesto comunista. São Paulo: Boitempo, 2007.

MESSENBERG, Débora. A direita que saiu do armário: a cosmovisão dos formadores de opinião dos manifestantes de direita brasileiros. Sociedade e Estado, Brasília, DF, v. 32, n. 3, p. 621-648, dec. 2017. Disponível em: https://bit.ly/3bF2DQv. Acesso em: 15 maio 2020.

MILLIKAN, Brent. Trumpismo e Bolsonarimo: semelhanças alarmantes. El País, São Paulo, 28 out. 2018. Disponível em: https://bit.ly/2WxdXdc. Acesso em: 15 maio 2020.

NICOLAU, Jairo. O triunfo do bolsonarismo. Piauí, São Paulo, n. 146, nov. 2018. Disponível em: https://bit.ly/3g2ogxQ. Acesso em: 15 maio 2020.

NOZAK, William. Bolsonaro não controla mais o bolsonarismo. Carta Capital, São Paulo, 24 ago. 2018. Disponível em: https://bit.ly/3dS8tjk. Acesso em: 15 maio 2020.

OLIVEIRA, Adriano. Qual foi a influência da Lava Jato no comportamento do eleitor? Do lulismo ao bolsonarismo. Curitiba: CRV, 2019.

OLIVEIRA, Francisco, Crítica à razão dualista: o ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003.

OLIVEIRA, Francisco. Collor: a falsificação da ira. Rio de Janeiro: Imago, 1992.

OLIVEIRA, Francisco. Os direitos do antivalor: a economia política da hegemonia imperfeita. Petrópolis: Vozes, 1998.

OLIVEIRA, Francisco; BRAGA, Ruy; RIZEK, Cibele (org.). Hegemonia às avessas: economia, política e cultura na era da servidão financeira. São Paulo: Boitempo, 2010.

PARTIDO DO MOVIMENTO DEMOCRÁTICO; FUNDAÇÃO ULYSSES GUIMARÃES. Uma ponte para o futuro. Brasília, DF, 29 out. 2015. Disponível em: https://bit.ly/2Z5oUV2. Acesso em: 14 maio 2020.

PATU, Gustavo; MANTOAN, Victória. Investimento público empaca no país. Folha de S.Paulo, São Paulo, 31 ago. 2014. Caderno de Mercado. Disponível em: https://bit.ly/2Zatvpf. Acesso em: 14 maio 2020.

PAULANI, Leda Maria. Brasil delivery: servidão financeira e estado de emergência econômico. São Paulo: Boitempo, 2008. (Coleção Estado de sítio).

PAULANI, Leda Maria. Capitalismo financeiro, estado de emergência econômico e hegemonia às avessas no Brasil. In.: OLIVEIRA, Francisco de; BRAGA, Ruy; RIZEK, Cibele (org.). Hegemonia às avessas: economia, política e cultura na era da servidão financeira. São Paulo: Boitempo, 2010. p. 21-27.

PEREIRA, João Márcio Mendes; BELLO, Cesar. O que seria um governo Bolsonaro? In: BELLO, Cesar. Blog do Cesar Bello, [s. l.], 16 out. 2018. Disponível em: https://bit.ly/3cCiaC6. Acesso em: 15 maio 2020.

PINASSI, Maria Orlanda. Brasil: (neo)desenvolvimentismo ou luta de classes? Herramienta Web, Buenos Aires, n. 13, 2013. Disponível em: https://bit.ly/3idfcap. Acesso em: 15 maio 2020.

PINHO, Carlos Eduardo Santos. Ditadura militar e Bolsonarismo: política doméstica e relações internacionais. Le Monde Diplomatique Brasil, São Paulo, 22 abr. 2019. Disponível em: https://bit.ly/2WAPHqQ. Acesso em: 15 maio 2020.

POCHMANN, Marcio. Nova classe média? O trabalho na base da pirâmide social brasileira. São Paulo: Boitempo, 2012.

PONSONI, Samuel; FIRMIANO, Frederico Daia. O eterno “homem bom” na política brasileira: uma análise do caso Moro. Linguasagem, São Carlos, v. 29, n. 1, p. 195-211, 2018. Disponível em: https://bit.ly/2WxYCcw. Acesso em: 15 maio 2020.

RIBEIRO, Guilherme; BOTELHO, Maurilio Lima; OLIVEIRA, Leandro Dias de. As Manifestações de Junho de 2013. Revista Continentes, Rio de Janeiro, n. 3, p. 116-141, 2013. Disponível em: https://bit.ly/2X3nasX. Acesso em: 15 maio 2020.

RIDENTI, Marcel Siqueira. Mudanças culturais e simbólicas que abalam o Brasil. Plural, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 45-62, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3fVgJ3w. Acesso em: 15 maio 2020.

SADER, Emir. A construção da hegemonia pós-neoliberal. In: SADER, Emir (org.). 10 anos de governos pós-neoliberais no Brasil: Lula e Dilma. São Paulo: Boitempo, 2013. p. 135-144.

SADER, Emir. Não é a Copa, imbecil, são as eleições! In: Blog da Boitempo, São Paulo, 5 jun. 2014. Disponível em: https://bit.ly/3bzPkRE /. Acesso em: 15 maio 2020.

SADER, Emir. Os desafios do pós-neoliberalismo. Le Monde Diplomatique Brasil, São Paulo, 1 fev. 2003. Disponível em: https://bit.ly/3fSdwSm. Acesso em: 15 maio 2020.

SADER, Emir. Posneoliberalismo en America Latina. Buenos Aires: Instituto de Estúdios y Formación CTA, 2008.

SCHERER-WARREN, Ilse. Manifestações de rua no Brasil 2013: encontros e desencontros na política. Cadernos CRH, Salvador, v. 27, n. 71, p. 417-429, 2014. DIsponível em: https://bit.ly/3bFfiCZ. Acesso em: 15 maio 2020.

SINGER, André. Brasil, junho de 2013, classes e ideologias cruzadas. Novos estudos Cebrap, São Paulo, n. 97, p. 23-40, 2013. Disponível em: https://bit.ly/2WBe4oo. Acesso em: 15 maio 2020.

SOARES, Pedro; VETTORAZZO, Lucas. Economia recua 0,6% no 2° trimestre, e o país entra em recessão técnica. Folha de S.Paulo, São Paulo, 29 ago. 2014. Caderno Mercado. Disponível em: https://bit.ly/2WR2qVa. Acesso em: 14 maio 2020.

SOUZA, André Peixoto. Reflexões sobre o bolsonarismo. Le Monde Diplomatique Brasil, São Paulo, 25 out. 2018. Disponível em: https://bit.ly/2X3pj7Z. Acesso em: 15 maio 2020.

VILLAVERDE, João. Governo federal anuncia corte recorde no Orçamento e freia investimentos do PAC. Estado de S. Paulo, São Paulo, 22 maio 2015. Disponível em: https://bit.ly/3cz2kbs. Acesso em: 14 maio 2020.

Publicado
2020-07-20
Como Citar
Firmiano, F. (2020). Os precedentes da tormenta. Revista Extraprensa, 13(2), 22-40. https://doi.org/10.11606/extraprensa2020.163155