O posicionamento do Facebook para a promoção dos Direitos Humanos

  • Alana Carolina Gomes Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”
  • Renata Calonego Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”
  • Roseane Andrelo Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”
Palavras-chave: Organizações, Internet, Comunicação, Cultura de Paz, Direitos Humanos

Resumo

O objetivo deste artigo é refletir sobre o posicionamento estratégico on-line das organizações perante a promoção dos direitos humanos por meio da cultura de paz. Para tanto, tem como objeto de estudo a fanpage oficial do Facebook no Brasil. Como metodologia, utilizou-se pesquisa bibliográfica, buscando aprofundamentos em temáticas relacionadas à comunicação das organizações, cultura de paz e direitos humanos. Além disso, foi realizada uma análise quantitativa e qualitativa da fanpage, de setembro de 2017 a fevereiro de 2018 e de janeiro a junho de 2019, permitindo a produção de um estudo comparativo, a partir de categorias pautadas em indicadores da cultura de paz e de direitos humanos. Verificou-se que os posicionamentos organizacionais possibilitam uma via promissora para a promoção dos direitos humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alana Carolina Gomes, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Mestra em Comunicação pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp) e graduada em Comunicação Social – Relações Públicas, também pela Unesp. Áreas de atuação: comunicação intercultural, comunicação organizacional e diferenças culturais no ambiente de trabalho.

Renata Calonego, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Doutoranda em Comunicação no Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Unesp de Bauru. Mestra em Comunicação com ênfase em Comunicação Midiática (2018) e graduada em Relações Públicas (2016) pela mesma instituição.

Roseane Andrelo, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Graduada em Jornalismo, mestre em Comunicação e doutora em Educação Escolar pela Unesp. Professora da graduação e do Programa de Pós- Graduação em Comunicação da Unesp. É autora do livro As relações públicas e a educação corporativa: uma interface possível.

Referências

ALMEIDA, Ana Luisa de Castro; SOUZA, Mariana Mayumi Pereira de. A construção de sentido do discurso organizacional e o papel das mídias sociais. In: MARCHIORI, Marlene (org.). Contexto organizacional midiatizado. São Caetano do Sul: Difusão, 2014.

ANDRELO, Roseane et al. Educación para los medios e interculturalidad: una experiencia de enseñanza-aprendizaje para la lectura crítica de los medios. Razón y Palabra, Quito, n. 94, p. 1.151-1.165, 2016.

CARDOSO, Clodoaldo Meneguello. Direitos humanos na universidade: construindo diálogos entre a ciência e a ética. Revista Interdisciplinar de Direitos Humanos, Bauru, v. 1, n. 1, p. 7-14, dez. 2013.

ERNESTO Anasarias; BERLINER, Peter. Human rights and peacebuilding. In: DE RIVERA, Joseph (ed.). Handbook on building cultures of peace. New York: Springer Science & Business Media, 2008. p. 181-195.

JENKINS, Henry; GREEN, Joshua; FORD, Sam. Cultura da conexão: criando valor e significado por meio da mídia propagável. São Paulo: Aleph, 2014.

KUNSCH, Margarida Maria Krohling. Comunicação organizacional: contextos, paradigmas e abrangência conceitual. Matrizes, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 35-61, jul./dez. 2014. Disponível em: http://bit.ly/2PbwGHL. Acesso em: 15 maio 2019.

LIMA, Fábia Pereira; OLIVEIRA, Ivone de Lourdes. O discurso e a construção de sentido no contexto organizacional midiatizado. In: MARCHIORI, Marlene (org.). Contexto organizacional midiatizado. São Caetano do Sul: Difusão, 2014.

MARCHIORI, Marlene. Cultura e comunicação organizacional: um olhar estratégico sobre a organização. 2. ed. São Caetano do Sul: Difusão, 2008.

MARTÍNEZ-GUZMÁN, Vicent; COMINS-MINGOL, Irene; ALBERT, Sonia París. La nueva agenda de la filosofía para el siglo XXI: los estudios para la paz. Convergencia: Revista de Ciencias Sociales, Toluca, v. 16, p. 91-114, 2009.

MILANI, Feizi Masrour; JESUS, Rita de Cássia Dias. Cultura de paz: estratégias, mapas e bússolas. Salvador: Inpaz, 2003.

NOS ALDÁS, Eloísa; SEGUÍ-COSME, Salvador; RIVAS MACHOTA, Ana María. Comunicación y construcción de paz. Barcelona: Icaria Editorial, 2008.

OLIVEIRA, Ivone de Lourdes; PAULA, Maria Aparecida. Interações na contemporaneidade e mudanças paradigmáticas: organização, comunicação e estratégias. Revista del Foro Iberoamericano sobre Estrategias de Comunicación, Buenos Aires, ano 5, n. 14, p. 3151, 2010.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaration and Programme of Action on a Culture of Peace. New York, 1999. Disponível em: http://bit.ly/38rjrdu. Acesso em: 15 set. 2019.

PIOVESAN, Flávia. Direitos humanos: desafios da ordem internacional contemporânea. Direitos Humanos, [S. l.], v. 1, p. 15-37, 2006.

PIRES, Teresinha Maria de Carvalho Cruz. Organização e visibilidade político-midiática: considerações preliminares. In: OLIVEIRA, Ivone de Lourdes; SOARES, Ana Thereza Nogueira (org.). Interfaces e tendências da comunicação no contexto das organizações. São Caetano do Sul: Difusão Editora, 2008.

PUREZA, José Manuel. Estudos sobre a paz e cultura da paz. Nação e Defesa, Lisboa, n. 95-96, p. 33-42, outono/inverno 2000.

SROUR, Robert Henry. Poder, cultura e ética nas organizações. 3. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2012.

Publicado
2019-12-30
Como Citar
Gomes, A., Calonego, R., & Andrelo, R. (2019). O posicionamento do Facebook para a promoção dos Direitos Humanos. Revista Extraprensa, 13(1), 56-74. https://doi.org/10.11606/extraprensa2019.163267