Identidade e Relações Interculturais em Guarani: a viagem como estratégia narrativa

  • Luiza Cristina Lusvarghi Universidade Anhembi Morumbi
Palavras-chave: Cinema Latino-Americano, Identidade Sociocultural, Interculturalismo, Transnacionalismo, Transculturalismo

Resumo

Este artigo pretende contextualizar os conceitos de interculturalismo, transculturalismo e transnacionalismo em sua representação no cinema, por meio da análise do filme Guaraní, em que Atílio, um velho pescador paraguaio de uma comunidade Guarani, vive às margens do rio Paraná com suas filhas e uma neta, Iara, que ele cria como se fosse um garoto. A notícia de que Helena, mãe de Iara, que deixou seu povoado para tentar a sorte na Argentina, está grávida de um varão, faz que ele decida ir até Buenos Aires para convencer a filha a ter seu bebê na terra onde nasceu. Em seu longo trajeto, que se inicia em seu velho barco e termina na estrada de carona, ele leva consigo a neta, Iara. O filme adota uma abordagem semidocumental para narrar os conflitos entre a preservação de tradições indígenas sob um contexto de economia globalizada que cada vez mais sufoca antigas formas de produção, a partir da perspectiva de Atílio, que já não consegue encontrar seu lugar nesta nova realidade, e da jovem protagonista, que consegue transitar entre os dois mundos, mas tem medo de assumir sua vida adulta e ter de deixar suas origens para trás.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiza Cristina Lusvarghi, Universidade Anhembi Morumbi

Graduada em Letras pela Faculdade São Bernardo (Fasb – 1977) e em Comunicação Social (Jornalismo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP – 1986). Mestre em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP – 2002). Doutora pela ECA-USP (2007). Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Estudo dos Meios e da Produção Mediática e dos processos de transmidiação na convergência entre Cinema e Televisão. Colabora com os cursos de especialização do Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) e da Universidade Anhembi Morumbi (UAMSP). Desenvolve pesquisa sobre a produção original da Netflix para a América Latina.

Referências

ARRIGUCCI JÚNIOR, Davi. Enigma e comentário: Ensaios sobre literatura e experiência. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

BLASINI, Gilberto. Recorriendo las Americas: cars, roads, and Latin American Cinema.. In: GARIBOTTO, Verónica; PÉREZ, Jorge (ed.). The Latin American road movie. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2016.CANCLINI, Nestor García. Culturas híbridas: estrategias para entrar y salir de la modernidad. Buenos Aires: Paidós, 2001.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Os Guarani: índios do Sul – religião, resistência e adaptação. Estudos Avançados, São Paulo, v. 4, n. 10, p. 53-90, 1990.

CANCLINI, Nestor García. Diferentes, desiguales y desconectados: mapas de la interculturalidad. Barcelona: Gedisa, 2004.

IANNI, Octavio. Globalização e transculturação. Revista de Ciências Humanas UFSC, Florianópolis, v. 14, n. 20, p. 139-170, 1996.

PAIS, José Machado. A juventude como fase de vida: dos ritos de passagem aos ritos de impasse. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 18, n. 3, p. 371-381, 2009. Disponível em: http://bit.ly/38KE5Vs. Acesso em: 20 dez. 2019.

PAIVA, Samuel. Gêneses do gênero road movie. Significação: Revista de Cultura Audiovisual, São Paulo, n 36, p. 35-53, 2011.

SCHEMES, Elisa Freitas. A literatura de viagem como gênero literário e como fonte de pesquisa. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 28., 2015, Florianópolis. Anais […]. Florianópolis: Universidade Federal de santa Catarina, 2015. Disponível em: http://bit.ly/313g4X4. Acesso em: 21 jun. 2018.

SILVA, Denise Mota da. Vizinhos distantes: circulação cinematográfica no Mercosul. São Paulo: Annablume, 2007.

Publicado
2019-12-30
Como Citar
Lusvarghi, L. (2019). Identidade e Relações Interculturais em Guarani: a viagem como estratégia narrativa. Revista Extraprensa, 13(1), 227-240. https://doi.org/10.11606/extraprensa2019.163276