Um ano sem Marielle Franco

marcas narrativas na imprensa brasileira

  • Gabriela Santos Alves Universidade Federal do Espírito Santo
  • Sthefany Duhz Cavaca Universidade Federal do Espírito Santo
Palavras-chave: Marielle Franco, Representatividade, Marcas Narrativas, Jornalismo, Análise Crítica de Discurso Feminista

Resumo

Este trabalho apresenta resultados parciais de pesquisa sobre marcas narrativas em jornais regionais brasileiros de destaque sobre o crime emblemático de Marielle Franco. Tendo o jornalismo como uma das principais ferramentas da sociedade para a garantia da democracia, a questão norteadora do artigo é: quais são as marcas narrativas dos jornais capixabas A Gazeta e A Tribuna produzidas sobre o caso de Marielle Franco no dia 14 de março de 2019? Pretende-se examinar, por meio da análise crítica de discurso feminista, as marcas narrativas produzidas pelos referidos jornais na data em que o crime completou um ano. Espera-se contribuir para teoria feminista e para a visibilidade da história e memória que se constrói sobre a vereadora na imprensa brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Santos Alves, Universidade Federal do Espírito Santo

Docente do Departamento de Comunicação Social e do programa de pós-graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Coordenadora do curso de Cinema e Audiovisual da Ufes. Tem pós-doutorado em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ). Realizadora audiovisual. Áreas de interesse acadêmico: cultura audiovisual, teoria feminista, cinema, memória e gênero.

Sthefany Duhz Cavaca, Universidade Federal do Espírito Santo

Discente do curso de Comunicação Social – Jornalismo na Ufes. Segundo ano de iniciação científica sobre Marielle Franco. Áreas de interesse acadêmico: teoria feminista, mídia, memória, política e gênero.

Referências

ATOS cobram respostas sobre mandante da morte de Marielle e Anderson. A Gazeta, Vitória, 14 mar. 2019. Disponível em: https://bit.ly/2NRX0W1. Acesso em: 29 mar. 2020.

BIROLI, Flávia; MIGUEL, Luis Felipe. Feminismo e política: uma introdução. São Paulo: Boitempo, 2014. 164 p.

BIROLI, Flávia; MIGUEL, Luis Felipe. Teoria política e feminismo: abordagens brasileiras. Vinhedo: Horizonte, 2012. 290 p.

BOLSONARO quer rapidez no caso do ministro. A Tribuna, Vitória, p. 28, 14 mar. 2019.

BRASIL. Tribunal Superior Eleitoral. Número de mulheres eleitas em 2018 cresce 52,6% em relação a 2014. Comunicação [do] TSE, Brasília, DF, 8 mar. 2019. Disponível em: https://bit.ly/37wpJbK. Acesso em: 23 abr. 2020.

CAPORAL, Angélica Azeredo Garcia; LIMA, Fernanda da Silva. Direitos humanos e feminismo negro: Marielle presente. In: SEMINÁRIO NACIONAL DEMANDAS SOCIAIS E POLÍTICAS PÚBLICAS NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA, 14., 2018, Santa Cruz do Sul. Anais […]. Santa Cruz do Sul: Unisc, 2018. p. 1-19.

DEPUTADOS usam cachorros para atrapalhar ato por Marielle na Câmara. . A Gazeta, Vitória, 14 mar. 2019. Disponível em: https://bit.ly/3g3BOYW. Acesso em: 29 mar. 2020.

FREITAS, Lúcia; MENDES, Isadora Costa. Abordagens feministas de análise de discurso: a formação de um campo. In: REIS, Marlene Barbosa de Freitas; LIMA, Sostenes (org.). Pesquisas em educação e linguagem. Anápolis: Editora UEG, 2017. p. 415-432.

GABRIELLI, Cassiana Panissa. 2007. Análise crítica do discurso e teoria feminista: diálogos frutíferos. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL MULHER E LITERATURA, 3., 2007, Ilhéus. Anais […]. Ilhéus: Uesc, 2007. p. 1-7. Disponível em: https://bit.ly/3e4GWvf. Acesso em: 8 abr. 2020.

INTER-PARLIAMENTARY UNION. Women in national parliaments. Geneva: IPU, 2019. Disponível em: https://bit.ly/38gqEgT. Acesso em: 6 abr. 2020.

MATOS, Marlise. Democracia, sistema político brasileiro e a exclusão das mulheres: a urgência em se aprofundar estratégias de descolonização e despatriarcalização do Estado. Revista Observatório Brasil da Igualdade de Gênero, Brasília, DF, ano 5, n. 7, p. 24-37, 2015.

MONTIPÓ, Criselli. Jornalismo e democracia: tensionamentos não democráticos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 41., 2018, Joinville. Anais […]. Joinville: Univille, 2018. p. 1-15.

MULHERES pretas, como Marielle, são menos de 1% nas câmaras de vereadores do Brasil. Gênero e Número, Rio de Janeiro, 21 mar. 2018. Disponível em: https://bit.ly/3fsATBc. Acesso em: 23 abr. 2020.

PALACIOS, Marcos. Convergência e memória: jornalismo, contexto e história. Matrizes, São Paulo, n. 1, p. 37-50, 2010.

RIO DE JANEIRO (Município). Lei nº 6.389, 27 de agosto de 2018. Inclui o Dia da Tereza de Benguela e da Mulher Negra no Calendário Oficial da Cidade do Rio de Janeiro consolidado pela Lei nº 5.146/2010. Diário Oficial Eletrônico do Município do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 29 ago. 2019a. Disponível em: https://bit.ly/2UIopNK. Acesso em: 17 abr. 2020.

RIO DE JANEIRO (Município). Lei nº 6.394, de 4 de setembro de 2018. Cria o Dossiê Mulher Carioca na forma que especifica e dá providências. Diário Oficial Eletrônico do Município do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 6 set. 2019b. Disponível em: https://bit.ly/3hxz5bK. Acesso em: 17 abr. 2020.

RIO DE JANEIRO (Município). Lei nº 6.415, de 4 de outubro de 2018. Cria a Campanha Permanente de Conscientização e Enfrentamento ao Assédio e à Violência Sexual no Município do Rio de Janeiro. Diário Oficial Eletrônico do Município do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 5 out. 2018a. Disponível em: https://bit.ly/2Y3OY25. Acesso em: 17 abr. 2020.

RIO DE JANEIRO (Município). Lei nº 6.419, de 13 de novembro de 2018. Institui o Programa de Espaço Infantil Noturno – Atendimento à Primeira Infância no âmbito do Município do Rio de Janeiro. Diário Oficial Eletrônico do Município do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 14 nov. 2018b. Disponível em: https://bit.ly/3frswWj. Acesso em: 17 abr. 2020.

RIO DE JANEIRO (Município). Lei nº 6.614, de 13 de junho de 2019. Institui a assistência técnica pública e gratuita para projeto e construção de habitação de interesse social para as famílias de baixa renda e dá outras providências. Diário Oficial Eletrônico do Município do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 14 jun. 2019c. Disponível em: https://bit.ly/3fp26Ve. Acesso em: 17 abr. 2020.

VEREADORA Marielle Franco fiscalizava intervenção federal do RJ. Veja, São Paulo, 15 mar. 2018. Disponível em: https://bit.ly/2UNt4y2. Acesso em: 7 abr. 2020.

Publicado
2020-07-20
Como Citar
Alves, G., & Cavaca, S. (2020). Um ano sem Marielle Franco. Revista Extraprensa, 13(2), 144-162. https://doi.org/10.11606/extraprensa2020.169492