Jogos Interculturais Indígenas: “o mais importante não é ganhar, mas celebrar e participar”

Autores

  • Vera Regina Toledo Camargo Universidade Estadual de Campinas
  • Maria Beatriz Rocha Ferreira Universidade Estadual de Campinas
  • Olga Rodrigues de Moraes Von Simon Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.11606/extraprensa2010.77200

Palavras-chave:

Jogos interculturais indígenas, Tradição, Natureza

Resumo

Em sua sabedoria milenar, a cultura indígena valoriza muito o celebrar. Suas festas e jogos são manifestações alegres de amor à vida e a natureza. Têm como referência em suas tradições a espiritualidade, tendo nos elementos da natureza - árvores, pássaros, animais, rios, lagos, matas - a grandeza da vida. Essa tradição é transmitida e atualizada de geração a geração.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vera Regina Toledo Camargo, Universidade Estadual de Campinas

É coordenadora do NUDECRI-Unicamp (2008-2010)

Maria Beatriz Rocha Ferreira, Universidade Estadual de Campinas

Docente da Faculdade de Educação Física da Unicamp

Olga Rodrigues de Moraes Von Simon, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Ciência Social pela Universidade de São Paulo. Docente do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação pela Unicamp

Downloads

Publicado

2010-12-07

Como Citar

Camargo, V. R. T., Ferreira, M. B. R., & Von Simon, O. R. de M. (2010). Jogos Interculturais Indígenas: “o mais importante não é ganhar, mas celebrar e participar”. Revista Extraprensa, 3(3), 653-658. https://doi.org/10.11606/extraprensa2010.77200