O “Príncipe Eletrônico”: entre os mitos, a linguagem e os regimes de poder

  • Vladimir Lacerda Santafé Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Resistências, Mídia alternativa, Hegemonia, Movimentos sociais

Resumo

Este artigo dialoga com o conceito de Octavio Ianni que pressupõe uma efetivação do poder temporal do príncipe maquiaveliano nas malhas da mídia atual.
O príncipe é aquele que possui a virtú, “o poder de efetuar mudanças e controlar eventos”, que inventa ou desenvolve essa virtú, além de se empenhar em desvendar as tramas, os jogos de força, que constituem essa virtú. Em outras palavras, o príncipe é aquele que articula as relações políticas e econômicas, ligando-as à hegemonia cultural ou superestrutural, da produção e da concentração dos signos que formam a cultura. A citação de Marx acima não foi por acaso, pois na essência de sua produção, reside o misticismo do mundo das mercadorias, e a formação de ideologias inseridas e constituintes do mundo capitalista.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vladimir Lacerda Santafé, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Mestranda em Comunicação pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Publicado
2010-12-02
Como Citar
Santafé, V. (2010). O “Príncipe Eletrônico”: entre os mitos, a linguagem e os regimes de poder. Revista Extraprensa, 3(3), 909-926. https://doi.org/10.11606/extraprensa2010.77221