Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Sobre a presença da mística na filosofia tardia de Walter Benjamin

Fernando Araujo Del Lama

Resumo


Procura-se, neste artigo, articular aspectos da filosofia de Walter Benjamin contidos em escritos da década de 1930, sobretudo as teses “Sobre o conceito de História”, e alguns temas tradicionalmente relacionados à mística e ao messianismo judaico. A hipótese pela qual este trabalho se orienta é de que, embora haja uma ruptura a partir da “guinada materialista” de Benjamin, alguns elementos oriundos da mística judaica se fazem presentes em meio ao empreendimento benjaminiano da fase dita materialista.

Palavras-chave


W. Benjamin; mística judaica; “Sobre o conceito de História”

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W.; BENJAMIN, W. Correspondência 1928-1940. Tradução de José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Ed. UNESP, 2012.

BENJAMIN, W. Gesammelte Schriften. Hrsg. von Rolf Tiedemann und Hermann Schweppenhäuser. 7 Bände. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1972-1991.

_____________. Rua de mão única. Tradução de Rubens Rodrigues Torres Filho e José Carlos Martins Barbosa. São Paulo: Brasiliense, 1987.

_____________. Sobre o conceito de História. In: LÖWY, M. Walter Benjamin – Aviso de Incêndio. Uma leitura das teses “Sobre o conceito de História”, de Walter Benjamin. Tradução das teses: Jeanne Marie Gagnebin e Marcos Lutz Müller. São Paulo: Boitempo, 2005.

BOLZ, N.; KONDER, L. É preciso teologia para pensar o fim da História? Revista USP, set./out./nov. 15(3), 1992.

GAGNEBIN, J. M. Teologia e Messianismo no pensamento de Walter Benjamin. In: _____. Limiar, aura e rememoração. Ensaios sobre Walter Benjamin. São Paulo: Ed. 34, 2014.

HABERMAS, J. Crítica conscientizante ou salvadora – a atualidade de Walter Benjamin. In: _____. Sociologia. Seleção e tradução de Bárbara Freitag e Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Ática, 1980.

IVERNEL, P. Paris capitale du Front populaire ou la vie posthume du XIXe siècle. In: WISMANN, H (Ed.). Walter Benjamin et Paris. Paris: Les Éditions du Cerf, 1986.

KONDER, L. Walter Benjamin. O Marxismo da Melancolia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

LINDNER, B. (Hrsg.). Benjamin-Handbuch: Leben, Werk, Wirkung. Stuttgart: J. B. Metzler Verlag, 2011.

LÖWY, M. Walter Benjamin – Aviso de Incêndio. Uma leitura das teses “Sobre o conceito de História”, de Walter Benjamin. Tradução de Wanda Nogueira Caldeira Brant. São Paulo: Boitempo, 2005.

_____________. Walter Benjamin, crítico da civilização. In: BENJAMIN, W. O capitalismo como religião. Organização de Michael Löwy; tradução de Nélio Schneider, Renato Ribeiro Pompeu. São Paulo: Boitempo, 2013.

MATES, R. Meia noite na história. Comentários às teses de Walter Benjamin 'Sobre o conceito de história'. Tradução de Nélio Schneider. São Leopoldo/RS: Editora UNISINOS, 2011.

NOBRE, M. Objeções marxistas? Adorno e Benjamin na “encruzilhada de magia e positivismo” dos anos 30. Cadernos de Filosofia Alemã n. 3, 1997, pp. 45-59.

SCHOLEM, G. Walter Benjamin and His Angel. In: _____. On Jews and Judaism in Crisis: selected essays. Edited by Werner J. Dannhauser. New York: Schocken Books, 1976.

_____________. Walter Benjamin: a história de uma amizade. Tradução de Geraldo Gerson de Souza, Natan Nobert Zins e J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2008.

TIEDEMANN, R. Historical Materialism or Political Messianism? An Interpretation of the Theses 'On the Concept of History. In: SMITH, G. (Ed.). Benjamin: Philosophy, History, Aesthetics. Chicago. London: The University of Chicago Press, 1989.

WOLFARTH, I. On some jewish motifs in Benjamin. In: BENJAMIN, A (Ed.). The problems of modernity. Adorno and Benjamin. London: Routledge, 1989.




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v20i1p181-195

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




INDEXADO POR:  International Philosophical Bibliography - Répertoire bibliographique de la philosophie; Latindex; The Philosopher's Index; Ulrich’s Periodicals Directory; REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico). ESTRATO A2 NO QUALIS DA CAPES.