Introdução aos excertos de Marx sobre James Mill (1844): ou sobre o reconhecimento

  • Luiz Philipe de Caux Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Marx, Hegel, Honneth, reconhecimento, alienação.

Resumo

O artigo apresenta e justifica de forma sucinta a tradução dos “Excertos do livro de James Mill ‘Éléments d’économie politique’”, escritos por Karl Marx à época dos Manuscritos Econômico-Filosóficos (1844). Nestas anotações, além de se debruçar sobre os temas tratados nos Manuscritos (dinheiro, alienação, ser genérico, trabalho, propriedade privada etc.), Marx trata de forma única no corpo de sua obra o tema do reconhecimento como tomado de Hegel, conceituando as relações no interior da sociedade civil como relações conflituosas de reconhecimento. O texto possui, assim, implicações tanto para a interpretação de Marx quanto como contribuição para a teoria do reconhecimento contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Brudney, D. (1998). Marx attempt to leave Philosophy. Cambridge: Harvard UP.

___________. (2010). “Producing for others”. In: Schmidt Am Busch, H.-C.; Zurn, C. (eds.). The Philosophy of Recognition: Historical and Contemporary Perspectives. Lanham: Lexington Books, pp.151–188.

___________. (2014). “The young Marx and the middle-aged Rawls”. In: Mandle, J.; Reidy, D. (eds.). A Companion to Rawls. Chicester: Wiley Blackwell, pp.450-471.

Chitty, A. (2013). Recognition and Property in Hegel and the Early Marx. Ethical Theory and Moral Practice, 16 (4), pp.685-697.

Habermas, J. (2014). Conhecimento e interesse. Tradução de Luiz Repa. São Paulo: UNESP.

Hegel, G. W. F. (1989). Grundlinien der Philosophie des Rechts (=Werke Band 7). Frankfurt a.M.: Suhrkamp.

Honneth, A. (2003). “Redistribution as Recognition: A Response to Nancy Fraser”. In: Fraser, N.; Honneth, A. Redistribution or Recognition? A Political-Philosophical Exchange. London; New York: Verso.

___________. (2009). Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. 2ª ed. Tradução de Luiz Repa. São Paulo: Editora 34.

___________. (2011). Das Recht der Freiheit: Grundriß einer demokratischen Sittlichkeit. Berlim: Surhkamp.

Marx, K. (2009). Ökonomisch-philosophische Manuskripte. Kommentar von Michael Quante. Frankfurt a.M.: Suhrkamp.

___________. (2013). O Capital: Crítica da Economia Política. Livro I. Tradução de Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo.

Quante, M. (2009). “Kommentar”. In: Marx, K. Ökonomisch-philosophische Manuskripte. Kommentar von Michael Quante. Frankfurt a.M.: Suhrkamp, pp.209-411.

___________. (2011). “Recognition as the Social Grammar of Species Being in Marx”. In: Ikäheimo, H.; Laitinen, A. (eds.). Recognition and Social Ontology. Leiden: Brill, pp.211-238.

___________. (2013). Recognition in Capital. Ethical Theory and Moral Practice, 16 (4), pp.713-727.

Renault, E. (2013). Three Marxian Approaches to Recognition. Ethical Theory and Moral Practice, 16(4), pp.699-711.

Publicado
2016-06-02
Como Citar
Caux, L. (2016). Introdução aos excertos de Marx sobre James Mill (1844): ou sobre o reconhecimento. Cadernos De Filosofia Alemã: Crítica E Modernidade, 21(1), 93-98. https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v21i1p93-98
Seção
Artigos