Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Democracia contra as patologias da liberdade: poder e dominação em Franz L. Neumann

José Rodrigo Rodriguez

Resumo


Este artigo apresenta a construção conceitual de Franz Neumann elaborada no texto “O conceito de liberdade política”, cuja finalidade principal é diferenciar poder e dominação. Para Neumann, a teoria política deve consistir em uma reflexão sobre a efetivação da liberdade em formas legítimas de poder, as quais se caracterizam por garantir a efetivação da liberdade humana. A liberdade, na visão do autor, é composta de três elementos historicamente construídos, o jurídico, o cognitivo e o volitivo, os quais permitem identificar seis patologias da liberdade que resultam da valorização excessiva ou da desvalorização de cada um de seus elementos; respectivamente, autarquia e legalismo, medo e naturalização, alienação e voluntarismo. Com a utilização deste aparelho conceitual Neumann analisa problemas políticos concretos como o Macartismo que marcou os Estados Unidos dos anos 1950. 


Palavras-chave


crítica; dominação; liberdade; patologia; poder

Texto completo:

PDF

Referências


Habermas, J. (1997). Direito e Democracia: Entre Facticidade e Validade. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

Honneth, A. (2008). “Uma patologia social da razão: Sobre o legado intelectual da Teoria Crítica”. In: Rush, F. (org.). Teoria Crítica. Aparecida: Ideias & Letras.

____________. (2015). O Direito da Liberdade. São Paulo: Martins Fontes.

Intelmann, P. (1996). Franz Neumann. Chancen und Dilemma des politischen Reformismus. Baden-Baden: Nomos Verlagsgesellschaft.

Iser, M.; Strecker, D. (orgs.). (2002). Kritische Theorie der Politik. Franz L. Neumann – eine Bilanz. Baden-Baden: Nomos Verlagsgesellschaft.

Kelly, D. (2003). The state of the political: conceptions of politics and the state in the thought of Max Weber, Carl Schmitt and Franz Neumann. New York: Oxford.

Neumann, F. (2013). O conceito de liberdade política. Cadernos de Filosofia Alemã, 22, pp.107-154.

____________. (2013). O Império do Direito. São Paulo: Quartier Latin.

Offe, C. (2003). The problem of social power in Franz L. Neumann’s Thought. Constellations, 10 (2).

Perels, J. (ed.). (1984). Recht, Demokratie und Kapitalismus. Aktualität und Probleme der Theorie Franz L. Neumanns. Bade-Baden: Nomos Verlagsgesellschaft.

Rodriguez, J. R. (2009). Fuga do Direito: um estudo sobre o direito contemporâneo a partir de Franz Neumann. São Paulo: Saraiva.

____________. (2016). Perversão do Direito (e da Democracia): seis casos. Revista Direito & Práxis, 7(4), pp.261-294.

Scheuerman, W. E. (1997). Between norm and exception: the Frankfurt school and the rule of law. Cambridge: MIT Press.

Söllner, A. (1982). Neumnann zur Einführung. Hannover: Soak Verlag.

Thornhill, C. (2000). Political theory in modern Germany – an introduction. Oxford: Polity.

Weber, M. (1993). “A Política como Vocação”. In: Ciência e política: duas vocações. São Paulo: Ed. Cultrix.




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v22i1p115-138

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




INDEXADO POR:  International Philosophical Bibliography - Répertoire bibliographique de la philosophie; Latindex; The Philosopher's Index; Ulrich’s Periodicals Directory; REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico). ESTRATO A2 NO QUALIS DA CAPES.