Da saída do estado de natureza

  • Luís Fernandes dos Santos Nascimento Universidade Federal de São Carlos
Palavras-chave: Rousseau, natureza, homem, história, moralidade

Resumo

A partir do Segundo Discurso, o presente texto busca analisar as complexidades presentes na ideia de estado de natureza apresentada na referida obra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Benedetti, M. (2012). A borra do café. Tradução de Joana Angélica d´Avila Melo. Rio de Janeiro: Objetiva.

Bouchardy, F. (1964). Introduction (Discours sur les sciences et les arts). In: Rousseau, J.-J. Oeuvres complètes (p.XXVII-XLI). Vol. III. Paris: Bibliothèque de la Pléiade.

Fortes, L.R.S. (1997). Paradoxo do espetáculo. São Paulo: Discurso Editorial.

Prado Jr., B. (2008). A retórica de Rousseau. São Paulo: Cosac Naify.

Rousseau, J-J. (1964). Oeuvres complètes. Vol. III. Paris: Bibliothèque de la Pléiade.

____________. (1988a). Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. Tradução de Lourdes Santos Machado. São Paulo: Nova Cultural.

____________. (1988b). Discurso sobre as ciências e as artes. Tradução de Lourdes Santos Machado. São Paulo: Nova Cultural.

____________. (2008). Ensaio sobre a origem das línguas. Tradução de Fulvia M.L. Moretto. Campinas: Editora da UNICAMP.

Starobinski, J. (2006). Jean-Jacques Rousseau: la transparence et l’obstacle. Paris: Gallimard.

____________. (2012) Accuser et séduire – Essais sur Jean-Jacques Rousseau. Paris: Gallimard.

Publicado
2017-11-01
Como Citar
Nascimento, L. (2017). Da saída do estado de natureza. Cadernos De Filosofia Alemã: Crítica E Modernidade, 22(3), 69-75. https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v22i3p69-75
Seção
Artigos