Sobre jovens e velhos: Marcos Nobre entre Fenomenologia e Sistema

Resenha de "Como nasce o novo: Experiência e diagnóstico de tempo na Fenomenologia do espírito de Hegel", de Marcos Nobre (São Paulo: Todavia, 2018)

Palavras-chave: Teoria crítica, Hegel, Hegelianismo de esquerda

Resumo

Resenha de Como nasce o novo: Experiência e diagnóstico de tempo na Fenomenologia do espírito de Hegel, de Marcos Nobre (São Paulo: Todavia, 2018)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Philipe de Caux, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestre e doutorando em Filosofia pela UFMG. Bolsista pelo CNPq.

Referências

Adorno, T. W. (2003 [1942]). „Reflexionen zur Klassentheorie“. In: ________. Soziologische Schriften I (= Gesammelte Schriften, 8) (pp.373-391). Frankfurt a.M.: Suhrkamp.
Honneth, A. (1989 [1985]). Kritik der Macht: Reflexionsstufen einer kritischen Gesellschaftstheorie. Mit einem Nachwort zur Taschenbuchausgabe. Frankfurt a.M.: Suhrkamp
____________. (2003 [1992]). Luta por reconhecimento: A gramática moral dos conflitos sociais. Tradução de Luiz Repa. São Paulo: Editora 34.
Hegel, G.W.F. (1986 [1807]). Phänomenologie des Geistes (= Werke 3). Frankfurt a.M.: Suhrkamp.
Publicado
2018-12-23
Como Citar
Caux, L. P. de. (2018). Sobre jovens e velhos: Marcos Nobre entre Fenomenologia e Sistema. Cadernos De Filosofia Alemã: Crítica E Modernidade, 23(2), 121-129. https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v23i2p121-129
Seção
Resenhas