O papel hermenêutico do conceito de totalidade em Theodor W. Adorno

  • Gabriel Petrechen Kugnharski Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Theodor Adorno, Teoria crítica, Totalidade, Dialética negativa

Resumo

O artigo apresenta uma interpretação da função que o conceito de totalidade assume no modelo de dialética desenvolvido por Theodor W. Adorno na década de 1960, sobretudo na obra Dialética Negativa, de 1966. Além dessa obra, outros textos do mesmo período também são examinados, tais como Três estudos sobre Hegel e Capitalismo tardio ou sociedade industrial. Realiza-se também um levantamento das principais posições da literatura acerca dessa questão. O objetivo é sustentar que, embora crítico da totalidade, Adorno retém esse conceito com o intuito de se contrapor às correntes filosóficas dominantes em sua época, sobretudo o positivismo lógico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Adorno, T. (1986). "Capitalismo Tardio ou Sociedade Industrial?". In: Cohn, Gabriel (org.). Theodor Adorno: Sociologia. São Paulo, SP: Editora Ática.

Adorno, T. (1999). "Introdução à controvérsia sobre o positivismo na sociologia alemã". Tradução de Wolfgang Leo Maar. In: Coleção Os pensadores. São Paulo, SP: Nova Cultural.

Adorno, T. (2008). Minima Moralia: reflexões a partir da vida lesada. Tradução de Gabriel Cohn. Rio de Janeiro, RJ: Beco do Azougue.

Adorno, T. (2009). Dialética Negativa. Tradução de Marco Antônio Casanova. Rio de Janeiro, RJ: Zahar.

Adorno, T. (2013). Três Estudos sobre Hegel. Tradução de Ulisses Razzante Vaccari. São Paulo, SP: Editora Unesp.

Adorno, T. (2015a). Einführung in die Dialektik. Berlin: Suhrkamp.

Adorno, T. (2015b). Ensaios sobre psicologia social e psicanálise. Tradução de Verlaine Freitas. São Paulo, SP: Editora Unesp.

Adorno, T.; Horkheimer, M. (1985). Dialética do Esclarecimento. Tradução de Guido de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

Bernstein, J. (2004). "Negative Dialectics as Fate: Adorno and Hegel". In Huhn, T. (org.). The Cambridge Companion to Adorno. Cambridge: Cambridge University Press.

Buck-Morss, S. (1977). The Origin of Negative Dialectics. Theodor W. Adorno, Walter Benjamin and the Frankfurt Institute. New York: The Free Press.

Jaeggi, R. (2005). “No Individual Can Resist”: Minima Moralia as Critique of Forms of Life. Constellations, 12 (1), pp. 65-82. DOI: 10.1111/j.1351-0487.2005.00403.x.

Jameson, F. (1997). Marxismo Tardio: Adorno ou a persistência da dialética. Tradução de Luiz Paulo Rouanet. São Paulo, SP: Boitempo.

Januário, A.; Nobre, M. (2014). Exercício de leitura de “Anotações ao pensar filosófico”, de Theodor W. Adorno. Cadernos de filosofia alemã, 19 (2), pp.39-65. Recuperado de: http://www.revistas.usp.br/filosofiaalema/article/view/90815. Acesso em: 10 dez. 2018.

Jay, M. (1984). Marxism and Totality: the adventures of a concept from Lukács to Habermas. Berkeley e Los Angeles: University of California Press.

Nobre, M. (1998). A dialética negativa de Theodor W. Adorno: a ontologia do estado falso. São Paulo, SP: Iluminuras/FAPESP.

Repa, L. (2011). Totalidade e Negatividade: a crítica de Adorno à dialética hegeliana. Caderno CRH, 24 (62), pp. 273-284. Recuperado de: https://portalseer.ufba.br/index.php/crh/article/view/19207/12470. Acesso em: 10 dez. 2018.

Rose, G. (1978). The Melancholy Science: An Introduction to the Thought of Theodor W. Adorno. Nova York: Columbia University Press.

Schnädelbach, H. (1983). „Dialektik als Vernunftkritik. Zur Konstruktion des Rationalen bei Adorno“. In: Friedeburg, Ludwig von; Habermas, Jürgen. (org.). Adorno-Konferenz. Frankfurt am Main: Suhrkamp.

Sommer, M. (2016). Das Konzept einer negativen Dialektik. Tübingen: Mohr Siebeck.
Publicado
2019-06-25
Como Citar
Kugnharski, G. (2019). O papel hermenêutico do conceito de totalidade em Theodor W. Adorno. Cadernos De Filosofia Alemã: Crítica E Modernidade, 24(1), 67-81. https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v24i1p67-81
Seção
Artigos