Objeções marxistas? Adorno e Benjamin na “encruzilhada de magia e positivismo” dos anos 30

  • Marcos Nobre Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Palavras-chave: Adorno, Benjamin, Marxismo, Década de 30

Resumo

O debate entre Adorno e Benjamin na década de 30 sempre foi interpretado tendo como parâmetro um certo hegelo-marxismo por assim dizer oficial do Instituto de Pesquisa Social. Esse artigo pretende mostrar o equívoco desta tese, apontando para a necessidade da reconstrução do referido debate a partir do pano de fundo dos escritos de Benjamin da década de 20. Não se encontrará aqui a demonstração cabal desta tese, mas tão-somente o realce de elementos que possam conduzir a tal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Nobre, Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Professor do Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas
Publicado
1997-11-17
Como Citar
Nobre, M. (1997). Objeções marxistas? Adorno e Benjamin na “encruzilhada de magia e positivismo” dos anos 30. Cadernos De Filosofia Alemã: Crítica E Modernidade, (3), 45-59. https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v0i3p45-59
Edição
Seção
Artigos