Perspectivismo e democracia: uma breve reflexão sobre a política a partir do “espírito livre” nietzschiano

  • Fernando Costa Mattos Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Liberdade, Perspectivismo, Democracia, Política, Nietzsche

Resumo

Este artigo sugere um vínculo entre o perspectivismo de Nietzsche, pensando na chave da liberdade individual de criação e auto-afirmação, e o Estado democrático de direito, pensando em termos de seus pressupostos mais fundamentais. Embora Nietzsche se revele com freqüência um apologista da aristocracia, ele também parece defender, por outro lado, a máxima liberdade de criação, e reconhece a centralidade do indivíduo no mundo moderno. Neste sentido, seria possível defender a liberdade formal oferecida pela democracia como condição necessária da liberdade efetiva que caracteriza o “espírito livre”: sem aquela, este não teria a possibilidade de transitar pelas mais diversas perspectivas para assim amadurecer e tornar-se um legislador para si mesmo. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Costa Mattos, Universidade de São Paulo

Doutor em filosofia pela Universidade de São Paulo desenvolve atualmente pesquisa de pós-doutoramento, com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São PAulo (FAPESP), junto ao Núcleo Direito e Democracia do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP)

Publicado
2008-12-14
Como Citar
Mattos, F. (2008). Perspectivismo e democracia: uma breve reflexão sobre a política a partir do “espírito livre” nietzschiano. Cadernos De Filosofia Alemã: Crítica E Modernidade, (12), 79-98. https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v0i12p79-98
Seção
Artigos