Heidegger e a Doutrina da Personalidade em Kant

  • Jean Leison Simão Universidade Federal de Santa Maria
Palavras-chave: Personalidade transcendental, Personalidade psicológica, Personalidade moral, Kant, Heidegger

Resumo

Trata-se do desenvolvimento do conceito de personalidade em Kant, segundo Heidegger, sob três determinações: personalidade transcendental, personalidade psicológica e personalidade moral. Especificamente, o objetivo é definir o conceito estrito e autêntico de personalidade – expresso na personalidade moral – em relação aos conceitos mais gerais, tanto da personalidade transcendental quanto da psicológica. Nos conceitos mais gerais uma ontologia não é possível. Na determinação da personalidade transcendental não se manifesta o ente do sujeito, portanto, não podemos revelar o ser deste ente; já na determinação da personalidade psicológica o ente do sujeito é manifestado, entretanto o que inviabiliza a ontologia é o fato de este ente (a alma) não poder ser tomado em si mesmo, isto é, não poder ser independente do corpo. O conceito mais estrito e autêntico em Kant, segundo Heidegger, é o que torna possível uma ontologia, na medida em que é o único que, a partir da peculiaridade da autoconsciência moral em relação à autoconsciência empírica e a transcendental, manifesta onticamente e de imediato a pessoa naquilo que é: em sua dignidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jean Leison Simão, Universidade Federal de Santa Maria
Mestrando Universidade Federal de Santa Maria
Publicado
2010-06-14
Como Citar
Simão, J. (2010). Heidegger e a Doutrina da Personalidade em Kant. Cadernos De Filosofia Alemã: Crítica E Modernidade, (15), 41-58. https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v0i15p41-58
Seção
Artigos