Introdução à tradução: sobre a formulação do conceito crítico de liberdade e de autonomia da vontade

  • Diego Kosbiau Trevisan doutorando USP e Universität Mainz

Resumo

O que o leitor terá na sequência é a tradução de uma pequena seleção de reflexões de Immanuel Kant sobre filosofia moral redigidas, em sua grande maioria, ao longo “década silenciosa” de 1770. A escolha dos fragmentos, retirados dos volumes XVII, XVIII (Reflexões sobre Metafísica) e XIX (Reflexões sobre Filosofia Moral) da edição da Academia,1 foi motivada por um interesse interpretativo de fundo: a defesa de uma descontinuidade da filosofia moral kantiana na passagem do período pré-crítico para o crítico. Com isso se sugere que a existência de uma concepção crítica da liberdade e a formulação do princípio da autonomia da vontade como um princípio supremo da moralidade apenas se tornaram possíveis após a Dissertação de 1770. O princípio norteador para a escolha das reflexões traduzidas para este volume dos Cadernos de Filosofia Alemã foi o de mostrar, ainda que de modo rudimentar, o despontar conceitual mais bem acabado desses dois elementos conceituais centrais da filosofia prática crítica ao longo da década de 1770.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-06-14
Como Citar
Trevisan, D. (2012). Introdução à tradução: sobre a formulação do conceito crítico de liberdade e de autonomia da vontade. Cadernos De Filosofia Alemã: Crítica E Modernidade, (19), 127-133. https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v0i19p127-133
Seção
Traduções