Carl Schmitt e Walter Benjamin

  • Saul Kirschbaum
Palavras-chave: Estado Moderno, Estado de Exceção, Teologia Política, Origem do Drama Barroco Alemão

Resumo

Há uma particular ressonância entre o pensamento de Walter Benjamin e o do jurista alemão Carl Schmitt, inclusive no fato de que ambos analisam os séculos 16 e 17 para compreender o século 20. Em vista disso, o artigo busca esclarecer temas que norteiam a obra de Schmitt, tais como o Estado de Exceção, o de teologização da política, a crítica do parlamentarismo como fundamento do Estado Moderno, a tensão entre democracia e ditadura, para mostrar como se dá o diálogo entre os dois pensadores, tendo em vista um melhor entendimento de obras básicas de Benjamin, especialmente a Origem do Drama Barroco Alemão.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2002-12-24
Como Citar
Kirschbaum, S. (2002). Carl Schmitt e Walter Benjamin. Cadernos De Filosofia Alemã: Crítica E Modernidade, (8), 61-84. https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v0i8p61-84
Edição
Seção
Artigos