Portal da USP Portal da USP Portal da USP

A estrutura básica como objeto da justiça: liberdades básicas e as bases sociais do autorrespeito

Denílson Luis Werle

Resumo


O artigo parte do pressuposto de que para fazer um diagnóstico das injustiças, vulnerabilidades e carências das pessoas uma teoria crítica da justiça deve tomar como ponto de partida a posição real das pessoas no mundo, seus contextos de socialização e suas relações sociais de interdependência. Para isso, o objeto primário de uma teoria da justiça não deve ser diretamente os indivíduos e suas capacidades, mas sim a estrutura básica da sociedade, formada pelas principais instituições sociais, econômicas e políticas, isto é, os contextos intersubjetivos das relações interpessoais de cooperação social e de socialização que são determinantes na vida concreta das pessoas e principalmente na realização igual de suas liberdades e na formação do sentido interno do que significa ser autônomo.


Palavras-chave


estrutura básica; liberdades iguais; bases sociais do autorrespeito; John Rawls

Texto completo:

PDF

Referências


BANKOVSKY, M. Social justice: defending Rawls’ theory of justice against Honneth’s objections. Philosophy & Social Criticism, v. 37, n. 1, 2011, pp. 95-118.

COHEN, J. Democratic equality. Ethics, v. 99, n. 4, 1989, pp. 727-51.

CROCKER, D. Functioning and capability. The foundations of Sen’s and Nussbaum’s development ethic. Political Theory, v.20, n.4, 1992, pp. 584-611.

EYAL, N. ‘Perhaps the most important primary good’: self-respect and Rawls’s principles of justice. Politics, Philosophy & Economics, v. 4, n. 2, 2005, pp. 195-219.

FORST, R. Kritik der Rechtfertigungsverhältnisse - Perspektiven einer kritischen Theorie der Politik. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 2011.

HART, H. L. A. Rawls on liberty and its priority. In: DANIELS, N. (ed.). Reading Rawls. Critical studies of A Theory of Justice. Oxford: Basil Blackwell, 1975, pp. 230-252.

HONNETH, A.; ANDERSON, J. Autonomy, vulnerability, recognition and justice. In: CHRISTMAN, J.; ANDERSON, J. Autonomy and the challenges to liberalism: new essays. Cambridge: Cambridge University Press, 2005, pp. 127-49.

KEAT, R.; MILLER, D. Understading justice. Political Theory, v. 2, n.1, 1974, pp. 3-31.

MASSEY, S. Is self-respect a moral or a psychological concept?. Ethics, v. 93, n. 2, 1983, pp. 246-61.

MILLER, D. Democracy and social justice. British Journal of Political Science, v.8, n.1, 1978, pp. 1-19.

NIELSON, K. Radical egalitarian justice: justice as equality. Social Theory and Practice, v. 5, n.2, 1979, pp. 209-26.

NUSSBAUM, M. C. Women and human development. The capabilities approach. Cambridge: Cambridge University Press, 2000.

RAWLS, J. Uma teoria da justiça. Tradução de Jussara Simões e revisão técnica e da tradução de Álvaro de Vita. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

_____. O liberalismo político. Tradução de Álvaro de Vita. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

SEN, A. Development as freedom. New York: Knopf Press, 1999.

_____. A ideia de justiça. Tradução de Denise Bottmann e Ricardo Doninelli Mendes. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

SHUE, H. Liberty and self-respect. Ethics, v. 85, n.3, 1975, pp. 195-203.

WELLMER, A. condiciones de una cultura democrática: sobre el debate entre 'liberales' y 'comunitaristas'. In: WELLMER, A. Finales de Partida: La Modernidad Irreconciliable. Tradução: Manuel Jímenez Redondo. Madrid: Cátedra, 1996, p.77-101.

WERLE, D. L. Justiça e democracia. Ensaios sobre John Rawls e Jürgen Habermas. São Paulo: Esfera Publica, 2008.

_____. Liberdades básicas, justificação pública e poder político em John Rawls. Dissertatio, v. 34, 2011, pp. 183-207.

ZAINO, J. Self-respect and rawlsian justice. Journal of Politics, v. 60, n. 3, 1998, pp. 737-53.

ZINK, J. R. Reconsidering the role of self-respect in Rawls’s A theory of Justice. The Journal of Politics, v. 73, n.2, 2011, pp. 331-344.




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v19i1p63-83

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




INDEXADO POR:  International Philosophical Bibliography - Répertoire bibliographique de la philosophie; Latindex; The Philosopher's Index; Ulrich’s Periodicals Directory; REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico). ESTRATO A2 NO QUALIS DA CAPES.