[1]
J. Viesenteiner, Estrutura formal e semântica do argumento autogenealógico em Nietzsche, Cad. filos. alem., vol. 20, nº 2, p. 105-119, dez. 2015.