Processos e mudanças em abreviaturas mineiras setecentistas: regularidade e ruptura

Autores

  • Aléxia Teles Duchowny Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
  • Jania Martins Ramos Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
  • Sueli Maria Coelho Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v17i2p333-352

Palavras-chave:

Abbreviations. Minas Gerais Portuguese. 18th century.

Resumo

Este trabalho analisou abreviaturas de documentos setecentistas escritos no Arraial do Tijuco, hoje cidade de Diamantina-MG. Cotejaram- se recursos braquigráficos empregados em compromissos de irmandades religiosas de estratos sociais distintos para testar duas hipóteses: (i) as abreviaturas refletem diferenças diastráticas e, portanto, (ii) permitem identificar o grau de letramento do escrevente. As análises empreendidas não atestam a correção das hipóteses, mas as generalizações alcançadas sinalizam que as abreviaturas, como qualquer outro fenômeno linguístico, sofrem processos de mudança sistemáticos, organizados e múltiplos, diferentemente do que prevê a parca literatura sobre o tema.

Downloads

Publicado

2016-04-07

Como Citar

Duchowny, A. T., Ramos, J. M., & Coelho, S. M. (2016). Processos e mudanças em abreviaturas mineiras setecentistas: regularidade e ruptura. Filologia E Linguística Portuguesa, 17(2), 333-352. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v17i2p333-352

Edição

Seção

Artigos