A pontuação enunciativa e as instâncias narrativas em textos infantis de diferentes gêneros

  • Pascoalina Bailon de Oliveira Saleh Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná
Palavras-chave: Aquisição da Linguagem. Interacionismo. Pontuação enunciativa. Instâncias narrativas.

Resumo

Este artigo parte de uma perspectiva interacionista em Aquisição da Linguagem para investigar o uso de sinais de pontuação enunciativos em notícias, relatos de experiência e contos produzidos por uma garota, buscando evidenciar o seu papel na configuração das instâncias narrativas. O corpus é constituído de textos produzidos dos 6 aos 10 anos em ambiente escolar e doméstico e a análise alia o quantitativo ao qualitativo. Os resultados mostram que, ao longo do tempo, em todos os gêneros diversifica-se e intensifica-se o uso desses sinais, com implicações na configuração do narrador e do personagem. Além disso, parte deles indica o retorno da criança sobre o seu dizer, caracterizando uma posição de escuta, que se relaciona à instância autor.

Biografia do Autor

Pascoalina Bailon de Oliveira Saleh, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná
Professora do Departamento de Estudos da Linguagem do Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes.Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná

Referências

Authier-Revuz J. Heterogeneidade enunciativa. Cadernos de Estudos Linguísticos, 1990;19:25-42.

Authier-Revuz J. Dizer ao outro no já-dito: interferências de alteridades – interlocutiva e interdiscursiva – no coração do dizer. Letras de Hoje, 2011;46(1):6-20.

Bernardes ACA. Pontuando alguns intervalos da pontuação. [Tese]. Campinas: Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp; 2002.

Campos CM. Efeitos argumentativos na escrita infantil ou a ilusão da argumentação. [Tese]. Campinas: Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp; 2005.

Capistrano C. Um entre outros: a emergência da rasura na aquisição da escrita. Linguagem em (Dis)curso, 2013;13(3):667-694.

Chacon L. Ritmo da escrita: uma organização do heterogêneo da linguagem. São Paulo: Martins Fontes; 1998.

Corrêa MLG. Heterogeneidade da escrita: a novidade da adequação e a experiência do acontecimento. Filologia e Linguística Portuguesa, 2007;8:269-286.

Corrêa MLG. Relações intergenéricas na análise indiciária de textos escritos. Trabalhos em Linguística Aplicada, 2006;45(2):205-224.

Corrêa MLG. O modo heterogêneo de constituição da escrita. São Paulo: Martins Fontes; 2004.

Delezuk APM. A pontuação em notícias de divulgação científica: contribuições para o ensino. [Dissertação]. Ponta Grossa: Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Estadual de Ponta Grossa; 2015.

Dahlet V. As (man)obras da pontuação: usos e significações. São Paulo: Associação Editorial Humanitas; 2006.

De Lemos CTG. Sobre o estatuto lingüístico e discursivo da narrativa na fala da criança. Lingüística, 2001;13:23-59.

De Lemos CTG. Em busca de um alternativa à noção de desenvolvimento na interpretação do proceso de Aquisição de Linguagem: parte II. Relatório Científico de Bolsa Produtividade apresentado ao Cnpq; 1999.

De Lemos CTG. Processos metafóricos e metonímicos: seu estatuto descritivo e explicativo na aquisição de língua materna. Trabalho apresentado em The Trento Lectures na Workshop on Metaphor and Analogy, organizado pelo Instituto Italiano per la Ricerca Scientifica e Tecnologica em Povo; 1997.

Derrida J. A voz e o fenômeno. Rio de Janeiro: Jorge Zahar; 1993. Eco U. Seis passeios pelo bosque da ficção. São Paulo: Companhia das Letras; 1994.

Fayol M. Aquisição da escrita. São Paulo: Parábola; 2014.

Fiad RS, Barros J. O papel da intercalação na reescrita. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, 2003;3(1):9-23.

Genette G. Discurso da narrativa: ensaio de método. Martins FC, tradutor. Lisboa: Arcádia; 1982.

Meschonnic H. Linguagem, ritmo e vida. Florentino C, tradutor. Belo Horizonte: FALE/ UFMG; 2006.

Rocha P. Jornalismo em primeira pessoa: a construção de sentidos das narradoras da revista TPM. [Dissertação]. Porto Alegre: Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2007.

Saleh PBO. O sujeito e a pontuação na aquisição de narrativas escritas. In: Figueiredo DC, Bonini A, Furlanetto MM, Moritz, MEW, organizadores. Sociedade, cognição e linguagem. Florianópolis: Insular; 2012. p. 201-219.

Saleh PBO. A narrativa infantil e o ensino da pontuação. 8.o Encontro do Celsul; 29-31 out 2008; Porto Alegre; Pelotas: EDUCAT; 2008. p. 1-9.

Saleh PBO. Afinal, quem narra na narrativa infantil? Cadernos de Estudos Lingüísticos, 2005;47(1 e 2):175-186.

Schneuwly B, Dolz J. Gêneros orais e escritos na escola. Rojo R, Cordeiro, GS, tradutores. Campinas: Mercado de Letras; 2004.

Sgarbossa ICR. A pontuação nos contos de Guimarães Rosa: uma análise discursiva. [Dissertação]. Ponta Grossa: Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Estadual de Ponta Grossa; 2015.

Silva A. A aprendizagem da pontuação por alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental: uma análise a partir da produção de diferentes gêneros textuais. Cadernos de Educação, 2010;35:139-169.

Publicado
2016-12-12
Como Citar
Saleh, P. (2016). A pontuação enunciativa e as instâncias narrativas em textos infantis de diferentes gêneros. Filologia E Linguística Portuguesa, 18(2), 357-389. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v18i2p357-389
Seção
Artigos