A Noção de Conectivo nas Gramáticas Brasileiras do Século XIX

Palavras-chave: Conectivos, Gramática brasileira, Século XIX

Resumo

Este trabalho visa a traçar um comentário genérico sobre o conceito de conectivo e sua descrição nas gramáticas brasileiras do século XIX. Nesse intuito, selecionaram-se dez gramáticas pertencentes aos dois períodos históricos que figuram no Brasil ao longo dos Oitocentos: o Período Racionalista, pautado nas teses da gramática filosófica, e o Período Científico, em sua fase inicial, pautado nas ideias linguístico-evolucionistas. O propósito deste estudo resume-se a conferir aos pesquisadores contemporâneos uma visão abrangente e segura sobre o papel que os gramáticos brasileiros conferiam ao conectivo, seja como classe gramatical, seja como termo sintático integrante da construção do enunciado frasal.

Palavras-chave: conectivos, gramática brasileira, século XIX

Biografia do Autor

Ricardo Cavaliere, Universidade Federal Fluminense
Professor associado do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da UFF. Doutor em Língua Portuguesa. Pesquisador na área da descrição do portugtuês e da historiografia da linguística.

Referências

Arens H. Aristotle’s theory of language, texts form 500 to 1750. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Company; 1984.

Assunção C da C. António de Morais Silva – um gramático inovador. Anais do Sexto Congresso da Associação Internacional de Lusitanistas. Rio de Janeiro, 8-13 de agosto de 2001. [citado 4 abr. 2010]. Disponível em: http://www.oocities.org/ail_br/antoniomoraessilvaumgramatico.html.

Ayer N-LC. Grammaire comparéé de la langue française. 4a ed. Bale, Genève e Lyon: H. Georg, Libraire-Éditeur; 1885[1876].

Azeredo JC de. Gramática Houaiss da língua portuguesa. São Paulo: Publifolha; 2008.

Bain A. A higher English grammar. London: Longmans, Green, and Co; 1875.

Bartlett BE. Metalanguage as object-language. In: Auroux, S et al. Matériaux pour une histoire ds théories linguistiques. Lile: Université de Lille; 1984. p. 517-524.

Bôscoli JV. Grammatica portugueza. 2a ed. Rio de Janeiro: [editora desconhecida]; 1898[1893].

Braga T. Grammatica portugueza elementar – fundada sobre o methodo histórico-comparativo. Porto/Rio de Janeiro: João E da Cruz Coutinho/AA Cruz Coutinho; 1876.

Burggraff P. Principes de grammaire générale ou exposition raisonnée des éléments du langage. Liége: Imprimerie de H. Dessain; 1863.

Câmara Jr JM. Os estudos de português no Brasil. In: Dispersos. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas; 1972.

Cavaliere R. A corrente racionalista da gramática brasileira no século XIX. In: Cavaliere R. A gramática no Brasil: ideias, percursos e parâmetros. Rio de Janeiro: Lexikon Digital; 2014a. p. 44-58.

_________. A gramática no Brasil: ideias, percursos e parâmetros. Rio de Janeiro: Lexikon Digital; 2014b.

_________. Antonio de Moraes Silva e os estudos gramaticais do século XVIII. In: Thielemann W, organizador. Século das Luzes: Portugal e Espanha, o Brasil e a Região do Rio da Prata. Frankfurt am Main: TFM – Teo Ferrer de Mesquita; 2006. p. 537-540.

_________. Fonologia e morfologia na gramática científica brasileira. Niterói: Eduff; 2000.

_________. Uma proposta de periodização dos estudos linguísticos no Brasil. Confluência. 2002;23:102-120.

Coelho FA. A lingua portugueza; noções de glotologia geral e especial portugueza. Porto: Livraria Universal; 1881.

_________. A lingua portugueza; phonologia, etymologia, morphologia e syntaxe. Coimbra: Imprensa da Universidade; 1868.

Conduru FB de O. Gramática elementar da língua portuguesa. Maranhão: Typ. do Paiz; 1840.

Costa e Cunha AE da. Grammatica elementar portugueza, adaptada ao ensino das escolas de instrucção primaria, quer dos menores, quer dos adultos, e bem assim dos Collegios, Liceos e Escolas Normaes e aulas preparatorias. Rio de Janeiro: [editora desconhecida]; 1880.

Dal Ri Jr. A. Evolução histórica e fundamentos políticos jurídicos da cidadania. In: Dal Ri Jr. A; Oliveira, OM de, organizadores. Cidadania e nacionalidade: efeitos e perspectivas: nacionais – regionais – globais. Ijuí: Ed. da Unijuí; 2002.

Dal Ri L. Espaço jurídico. A construção da cidadania no Brasil, entre Império e Primeira República. Espaço Jurídico. 2010;11(1):7-36.

Dezotti LC. Arte menor e arte maior de Donato: tradução, anotação e estudo introdutório [dissertação]. Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. São Paulo; 2011.

Donatus A. Ars minor: de partibus orationis. I Intratext Edition CT.; 2007. [citado 5 out. 2016]. Disponível em: http://www.intratext.com/X/LAT0192.htm .

Duarte A da C. Compendio da grammatica philosophica da língua portugueza. 6ª ed. Maranhão: Antonio Pereira Ramos d’Almeida editor; 1877[1829].

Elia S. Os estudos filológicos no Brasil. In: Elia, S. Ensaios de Filologia e Lingüística. São Paulo: Editora Grifo; 1975.

Fávero LL, Molina MAG. As concepções lingüísticas no século XIX. Rio de Janeiro: Editora Lucerna; 2006.

Fortes IF. Arte de grammatica portuguesa. Rio de Janeiro: Impressão Régia; 1816.

Gonçalves MF. Gramáticas do português na transição do século XIX para o século XX: a “gramática científica”. La lengua, lugar de encuentro: actas del XVI Congreso Internacional de la ALFAL. Alcalá de Henares; 2012. p. 2571-2579.

Koerner EFK. “Metalanguage” in linguistic historiography. In: Koerner EFK. Professing linguistic historiography. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins; 1995. p. 27-46.

__________. The natural science impact on theory formation in 19th and 20th century linguistics. In: Koerner EFK. Professing Linguistic Historiography. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Co.; 1995. p. 47-76.

__________. Continuities and discontinuities in the history of linguistics. In: Koerner EFK. Practicing Linguistic Historiography; selected essays. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Company; 1989. p. 69-78.

Kury A da G. Pequena gramática para a explicação da nova nomenclatura gramatical. Rio de Janeiro: Livraria Agir Editora; 1961.

Laspia P. L’articolazione linguistica; origini biologiche di una metáfora. Roma: La Nuova Italia Scientifica; 1997.

Maciel M de A. Grammatica descriptiva. 8ª ed. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves; 1922[1894].

Maciel M. Philologia portugueza: ensaios descriptivos e historicos sobre a lingua vernacula. Rio de Janeiro: Typ. de José de Oliveira; 1889.

Melo GC de. Gramática fundamental da língua portuguesa. 2ª ed. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica; 1970[1967].

Murakawa C de AA. Léxico e gramática no Diccionario da Lingua Portugueza (1813) de António de Morais Silva. Alfa. 2006;50(2):55-67.

Nascentes A. A filologia portuguesa no Brasil. In: Nascentes A. Estudos filológicos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; 1939.

Neves MH de M. A teoria linguística em Aristóteles. Alfa. 1981;25:57-67.

__________. Gramática de usos da língua portuguesa. São Paulo: Editora Unesp; 2000.

Parreira AD. Contribuición a la historia de la gramatica brasileña del siglo XIX. [tese]. Salamanca: Universitad de Salamanca, Faculdade de Filologia; 2011.

Prisciani. Institutionum grammaticarum. In: Keilii H. Grammatici Latini. Lipsiae: In Aedibus B.G. Tevbneri; 1855.

Reis FS. Grammatica portugueza, acomodada aos princípios geraes da palavra seguidos de immediata applicação pratica. 2ª ed. Maranhão: Typographia de R d’Almeida & C; 1871[1866?].

Ribeiro EC. Serões grammaticaes ou nova grammatica portugueza. Bahia: Livraria Catilina de Romualdo dos Santos; 1890.

Ribeiro João. Diccionario gramatical. 3ª ed. Rio de Janeiro/São Paulo/Belo Horizonte: Livraria Francisco Alves; 1906[1897].

__________. Grammatica portugueza, curso superior. 21ª ed. Rio de Janeiro/São Paulo/Belo Horizonte: Livraria Francisco Alves; 1930[1889].

Ribeiro Julio. Grammatica portugueza. 10ª ed. Rio de Janeiro/São Paulo/Belo Horizonte: Livraria Francisco Alves; 1911[1881].

__________. Traços geraes de linguistica. São Paulo: Livraria Popular de Abilio A. S. Marques; 1880.

Ricken U. Grammaire et philosophie au siècle des lumières. Lille: Publications de l’Université de Lille III; [data desconhecida].

Santos MHP. As ideias linguísticas portuguesas na centúria de Oitocentos. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian; 2010. 2 vol.

Silva Jr MP da, Andrade BPL de. Noções de grammatica portugueza. Rio de Janeiro: J.G. de Azevedo Editor; 1887.

Silva A de M. Diccionario da língua portugueza. 4ª edição, enriquecida por Theotonio José de Oliveira Velho. Lisboa: Na Impressão Regia; 1831[1789].

__________. Epitome da grammatica da lingua portugueza. Lisboa: Off de Simao Thaddeo Ferreira; 1806.

Silva AF da. Grammatica portugueza. 9ª ed. São Paulo: Augusto Siqueira & Comp; 1906[1875].

Swiggers P. The syndesmos in Ancient Greek grammar: grammatical status and subtypes. Proceedings of the 16th International Congress of Linguistics. [cd-rom]. Oxford: Pergamon; 1997.

Tracy AD. Élémens d’idéologie, second partie. Grammaire. Paris: Courciér Imprimeur-Librairie; 1803. [citado 5 jul. 2010]. Disponível em: https://archive.org/details/projetdlmentsdi00comgoog .

Publicado
2018-03-02
Como Citar
Cavaliere, R. (2018). A Noção de Conectivo nas Gramáticas Brasileiras do Século XIX. Filologia E Linguística Portuguesa, 20(1), 9-30. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v20i1p9-30
Seção
Artigos