Construção do saber escolar – gramáticas da primeira infância

  • Leonor Lopes Fávero USP, UCSP e CNPq
  • Márcia Antônia Guedes Molina UNISA
Palavras-chave: Educação primária no Império, método lancasteriano, método intuitivo, gramáticas da primeira infância.

Resumo

A instrução primária no Império caminhava a passos lentos na primeira
metade do século XIX. Vários projetos eram apresentados, mas só a partir de 1854 a
situação começa a mudar, com a reforma Couto Ferraz. A escola primária dividia-se em
duas classes, de primeiro e de segundo grau, e tinha um currículo básico que, no primeiro
grau, incluía “noções elementares de gramática” o que vai intensificar a publicação,
aqui no Brasil, de gramáticas para a primeira infância. A partir de 1870, com o
decreto de Leôncio de Carvalho e escudando-se na ideias de Pestalozzi e Froebel, lançase
um.novo olhar sobre o aluno e seu processo de aprendizagem. Trata-se da implantação
do método intuitivo ou “de lição de coisas” , abandonando-se o inglês proposto por
Lancaster. É nesse momento histórico que se situa o trabalho, analisando-se duas gramáticas
publicadas no período. Entendendo-se o estudo dessas obras como parte da história
cultural, observa-se de que forma foram pensadas e escritas. A análise está fundamentada
na História das Ideias Lingüísticas no Brasil.
Publicado
2010-06-02
Como Citar
Fávero, L., & Molina, M. (2010). Construção do saber escolar – gramáticas da primeira infância. Filologia E Linguística Portuguesa, 12(1), 69-90. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v12i1p69-90
Seção
Artigos