Uma análise funcionalista da indeterminação do sujeito no Português Popular falado em São Paulo

  • Deize Crespim Pereira Universidade de São Paulo
Palavras-chave: indeterminação do sujeito, Português Popular, Linguística Funcional.

Resumo

Utilizando os pressupostos teórico-metodológicos da Linguística Funcional, este trabalho apresenta uma análise quantitativa das formas pronominais e verbais usadas para expressar a indeterminação do sujeito no Português Popular de São Paulo. O corpus se constitui de 23 inquéritos que fazem parte do Projeto Português Popular em São Paulo. Este registra a fala de informantes adultos, analfabetos ou de baixa escolaridade, migrantes e paulistanos, que residem em favelas da capital paulista. A análise demonstra que: (i) há várias formas que expressam indeterminação do sujeito no Português Popular; (ii) considerando que a indeterminação é uma questão de grau, há formas mais indeterminadas do que outras que vêm acompanhadas de pistas referenciais no texto ou contexto; (iii) tais formas podem exercer diferentes funções conforme o contexto; (iv) podem abranger desde uma única pessoa até as três pessoas gramaticais, nos casos em que atingem um alto grau de generalização.

Publicado
2014-04-23
Como Citar
Pereira, D. (2014). Uma análise funcionalista da indeterminação do sujeito no Português Popular falado em São Paulo. Filologia E Linguística Portuguesa, 15(2), 475-518. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v15i2p475-518
Seção
Artigos