A linguagem e a visão de linguagem na formação em Letras

Autores

  • Maria Helena de Moura Neves Universidade Presbiteriana Mackenzie

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v15i2p595-606

Palavras-chave:

visão de linguagem. Língua materna. Uso linguístico. Professores de Letras.

Resumo

O estudo defende que a formação de profissionais de Letras se conduza por reflexão analítica, visão crítica e percepção dos contextos interculturais, sempre com forte investidura na humanidade. Para isso invoca a necessidade de uma discussão que coloque ciência na base e história no condicionamento, bem como arte e técnica na atuação docente. Defende, também, que da universidade seja cobrada a articulação dos conceitos teóricos e dos condicionamentos em política educacional, assim como o atendimento das necessidades existentes no universo sociocultural dos níveis de base de ensino. A discussão vai a questões como: a visão escolar de linguagem e de língua; os ingredientes do trabalho escolar com a linguagem e a língua materna (metas, formação docente, grades, metodologias); a responsabilidade da condução do trabalho escolar no verdadeiro sentido da promoção da educação. Nesse último campo se oferece uma ilustração da questão. Conclui-se que é na compreensão dessa realidade que está a sustentação para formar profissionais em tal área escolar, que exige uma clara visão de linguagem e de uso linguístico.

Downloads

Publicado

2014-04-23

Como Citar

Neves, M. H. de M. (2014). A linguagem e a visão de linguagem na formação em Letras. Filologia E Linguística Portuguesa, 15(2), 595-606. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v15i2p595-606

Edição

Seção

Artigos