[1]
B. K. Pereira, “Interpretabilidade de traços e as posições do possessivo de 2.a pessoa em português brasileiro dialeta”l, Filol. Linguíst. Port., vol. 18, nº 2, p. 199-229, dez. 2016.